Esportes

Diretor do Atlético-MG descarta Daniel Alves e diz que 'conta vai fechar'

Líder isolado do Campeonato Brasileiro e semifinalista da Copa do Brasil e da Libertadores da América, o projeto do Atlético-MG é ambicioso e tem dado resultados em campo. Por outro lado, o clube soma a maior dívida do futebol brasileiro - passando da casa de R$1 bi - e teve um buraco de R$33 milhões no primeiro semestre de 2021. O receio do torcedor é ver a euforia com a boa fase do time virar preocupação com as contas.

Entretanto, o diretor atleticano tranquilizou a torcida e garantiu: a conta vai fechar. Atualmente, o Atlético-MG conta com um aporte financeiro da família Menin, dona da construtora MRV, que vai batizar o futuro estádio atleticano.

Em entrevista ao vivo hoje no programa "Jogo Aberto", da Band, o diretor executivo assegurou que o projeto do clube é transformar esse elenco estrelado em receita com vendas e premiações nos campeonatos, até que o Atlético-MG se torne autossuficiente. "Que bom que temos esse órgão colegiado, esses apoiadores, porque eles não são investidores. Eles não colaboram com o Galo mirando qualquer retorno financeiro. Eles são atleticanos apaixonados ajudando o clube numa travessia" declarou Caetano.

"O Galo tem, no ano que vem, de outubro para novembro, a inauguração do seu estádio. E através do estádio, de uma equipe competitiva, da venda de atletas, muito em breve o Galo vai poder ampliar suas receitas e depender cada vez menos deles. Hoje não tem como. Eles estão fazendo esse aporte para que, lá na frente, o Galo possa caminhar com as próprias pernas", completou.

Questionado também sobre um possível interesse do Atlético no lateral Daniel Alves, livre no mercado após rescindir com o São Paulo, Rodrigo Caetano descartou a possibilidade de o jogador desembarcar em Minas. "Apesar da sua trajetória extremamente vencedora, o líder positivo que ele sempre demonstrou ser, em momento nenhum o Galo foi procurado ou procurou o staff dele", afirmou.

O dirigente ainda prometeu brigar pelos três títulos que o Atlético disputa na temporada "Estou satisfeito com o elenco que temos e vamos lutar até o final com esse elenco, crente que somos capazes de sermos protagonistas. Não significa conquista de títulos e sim que nós vamos lutar em todas as frentes. Jamais vamos prometer conquistas, mas vamos brigar no topo em todas as competições. Portanto, é esse elenco que segue, que nos trouxe até aqui e não tem porque pensarmos em mudanças", finalizou.

Veja outras declarações de Rodrigo Caetano no Jogo Aberto:

Montagem do elenco
"Eu cheguei em janeiro deste ano, depois de ter terminado meu contrato com o clube da Renata (Internacional) e o objetivo era dar continuidade, pois o Galo iniciou esses investimentos em 2020. A ideia era em 2021 buscar peças pontuais. Depois da saída do Sampaoli e chegada do Cuca, o planejamento era não quantificar e sim qualificar o nosso elenco.

"Trouxemos jogadores livres, como o Hulk, Diego Costa, Dodô, o que facilita para diluir os valores em contrato. Trouxemos o Tchê Tchê por empréstimo e o retorno do Nathan Silva, que parece que nunca saiu do Galo. Seria incrível conquistar os três títulos, mas o principal é estar competindo, estar brigando por todos os campeonatos".

Palmeiras
"Só sei que o Palmeiras tem esse elenco forte porque vem fazendo esse investimento já a médio prazo, diferentemente do Galo, que iniciou ano passado. Eles estão desde 2015 nessa empreitada, um passo à frente de nós. Esperamos conquistar os títulos que eles conquistaram. Têm um elenco forte, jovem e um técnico qualificado. Só esperamos fazer um bom jogo e levar alguma vantagem para Belo Horizonte".