Esportes

Corinthians tem primeira vitória na temporada diante da Ponte Preta

Classificação e Jogos

O Corinthians venceu a Ponte Preta por 2 a 1 nesta manhã, na Neo Química Arena, pela terceira rodada do Campeonato Paulista. Foi a primeira vitória de Vagner Mancini na temporada de 2021. Os gols foram de Mateus Vital e Jô, de pênalti. João Veras descontou pelos visitantes.

Os donos da casa foram a campo totalmente desfalcados, com 14 jogadores diagnosticados com covid-19. Mancini teve que reinventar o time e conseguiu o resultado. A Ponte teve ausências pelo mesmo motivo.

Marcação imbatível

Logo no início o Corinthians sentiu a marcação da Ponte Preta e teve dificuldade na saída de bola. A lateral direita voltou a ser improvisada com Bruno Méndez, mesmo com Guilherme Biro, de 16 anos, como opção. Porém, a pouca idade fez o técnico Mancini optar por Méndez pela terceira vez.

E o lateral-direito deu conta do recado. Apesar de não ter aparecido com frequência na frente, teve um bom desempenho na defesa, inclusive com cortes providenciais.

Aproveitou

A falta de criatividade do Timão no meio-campo prejudicou o ataque, que mesmo com facilidade para chegar, não acertava o último passe. Mateus Vital foi um dos destaques por buscar jogo e arriscar alguns chutes de longe. Em contrapartida, a Ponte preferiu dar a bola para os donos da casa e buscavam o contra-ataque.

Até que Ruan Renato viu uma oportunidade. Avistou João Veras isolado e deu lançamento longo. O jovem de 20 anos superou a marcação de Jemerson e marcou bonito gol. Em meio a comemoração o menino foi às lágrimas. Na sequência, o VAR foi acionado para rever se houve falta no zagueiro corintiano, mas o gol foi validado.

Decisivo

A reação do Corinthians não foi imediata, mas o time de Mancini passou a apertar a Ponte e encontrou mais oportunidades. Mateus Vital voltou a dar trabalho em jogadas individuais, mas faltou maior agressividade na última decisão.

E ela veio nos minutos finais da primeira etapa. O Corinthians criou de pé em pé e Vital tabelou na entrada da área. Mandou de longe e marcou um golaço, indefensável para Luan. Tudo igual na Neo Química Arena.

Mais chuva

A segunda etapa foi marcada pela forte chuva em São Paulo. Os times tiveram que ligar com o gramado pesado e com alguns pontos de alagamento em que a bola não rolava.

Pensando nisso, Mancini sacou Varanda e apostou em Otero. Já Fábio Moreno voltou a utilizar a estratégia do contra-ataque e voltou a dar a bola para o Timão. Veras continuou dando trabalho com boa movimentação.

Que sequência!

Em bola parada, Otero bateu com muito perigo e Luan defende com rebote na trave, mas os defensores da Ponte arrancam dali.

Na sequência, o venezuelano bate o escanteio e quase marca gol olímpico. Em disputa de bola, a zaga rival volta a tirar e salvar a Ponte.

Virou

Após a sequência perigosa para a Ponte, os corintianos chegam mais agressivos na área e Vital é derrubado. O árbitro Raphael Claus marcou pênalti.

Jô pegou a bola, mas não fez na primeira oportunidade. Luan defendeu, deu opção de rebote, e aí sim o atacante marcou e deixou o Timão na frente.

Menos um

A Ponte Preta levou vantagem na etapa final por lance infantil de Cantillo. O colombiano deu um pisão no tornozelo de Moisés sem bola. O VAR foi acionado e o estrangeiro foi expulso direto. O time da capital conseguiu segurar as pontas. Mancini ainda promoveu a estreia de Adson na reta final.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 1 PONTE PRETA


Local e horário: Neo Química Arena, às 11h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (SP)

Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Anderson José de Moraes Coelho (SP) VAR: José Rocha Cláudio Filho (SP)
Cartões amarelos: Antony e Bruno Méndez (COR) e Luizão (PON)

Cartões vermelhos: Cantillo (COR)

GOLS: João Veras (0-1), Mateus Vital (1-1), Jô (2-1)

CORINTHIANS: Matheus Donelli; Bruno Méndez, Jemerson, Gil, João Victor; Roni e Luan (Adson); Rodrigo Varanda (Otero), Antony (Jô) e Mateus Vital (Araos). Técnico: Vagner Mancini.

PONTE PRETA: Luan; Apodi, Ruan Renato, Luizão e Yuri; Dawhan, Vini Locatelli (Léo Naldi) e Renan Mota (Faye); Pedrinho (Bruno Michel), Moisés e Paulo Sérgio (João Veras). Técnico: Fábio Moreno.