Esportes

Com 11 desfalques por covid-19, Venezuela segura Colômbia e empata em 0 a 0

Com 11 desfalques por covid-19, Venezuela segura Colômbia e empata em 0 a 0
Classificação e Jogos

Colômbia e Venezuela empataram por 0 a 0 na noite de hoje (17), no estádio Olímpico, em Goiânia, pela segunda rodada da Copa América. Os colombianos pressionaram durante os 90 minutos, mas a desfalcada seleção venezuelana conseguiu segurar o empate. No final do jogo, os "cafeteros" ainda terminaram a partida com o Luis Díaz expulso.

A Venezuela atuou extremamente desfalcada pela covid-19, sem 11 atletas. Dois jogadores testaram positivo antes mesmo da viagem ao Brasil e foram cortados, além de outros nove que receberam positivo em seus testes já em solo brasileiro.

Na próxima rodada, a equipe colombiana permanece em Goiânia e recebe o Peru no domingo (20), às 21h. Já a Venezuela viaja até o Rio de Janeiro para enfrentar o Equador, no mesmo dia, às 18h.

O melhor: Faríñez

O goleiro venezuelano não teve tanto trabalhou, mas apareceu bem quando foi exigido. Defendeu chutes de Cardona e Zapata na primeira etapa e ainda contou com a sorte quando Mina não alcançou cruzamento em que ele nada poderia fazer. No fim, ainda fez grande defesa em cabeçada de Uribe.

O pior: Muriel

Apagado, o atacante da Atalanta pouco ajudou na criação de jogadas para furar o bloqueio venezuelano. Foi o primeiro a ser substituído para a entrada de Campaz.

Cronologia do jogo

Desfalcada, a Venezuela chegou com a proposta de se defender. E conseguiu. A Colômbia chegou com perigo duas vezes: em uma boa jogada de Zapata e em uma bola que Mina não alcançou na área. Durante todo o restante da primeira etapa, o 5-4-1 da "Vinotinto" segurou o ímpeto do time de Reinaldo Rueda.

Na segunda etapa nada mudou. A Colômbia seguiu com dificuldades para criar jogadas e só levou perigo ao gol da Venezuela já nos acréscimos em cabeçada de Uribe que foi defendida por Faríñez. A partida se desenhou bastante tensa, com a Venezuela parando o jogo e os colombianos apressados em tentar a vitória. No fim, os nervos acabaram culminando na expulsão de Luis Díaz, mas o placar seguiu 0 a 0.

Atuação da Colômbia: equipe sofre para criar

Inicialmente em um 4-4-2 com Muriel e Zapata dividindo o comando de ataque, a Colômbia sofreu para sair da marcação fechada da linha de cinco do adversário. Na segunda etapa, Rueda colocou Campaz e Luis Díaz nas pontas do ataque, sacando o apagado Muriel e centralizando Zapata. Sem sucesso, trocou o centroavante e colocou Borja em campo. Ainda assim, a Colômbia pouco criou e quase não incomodou a Venezuela na segunda etapa. Já nos acréscimos, Luis Díaz acabou levando o vermelho direto após uma entrada forte no adversário.

O jogo da Venezuela: 5-4-1 dificulta colombianos

O técnico José Peseiro armou sua equipe em um 5-4-1 sem bola, deixando só o centroavante Aristeguieta à frente, e dificultou muito a vida dos colombianos na criação de jogadas. O adversário até conseguiu criar duas chances claras de gol, mas falhou na hora de abrir o placar. Com a bola, a Venezuela liberava os alas para formar um 3-4-3, porém pouco incomodou ofensivamente durante a partida.

Colombianos levam caixa de som para ver jogo da calçada

Dois colombianos viajaram ao Brasil mesmo sabendo do veto de público nos estádios para apoiar a seleção na Copa América. Jhon Riano e Sebastian Campo trouxeram até uma caixa de som com música típica colombiana, mas não conseguiram se fazer ouvir dentro do estádio por causa do som da torcida colocado pela Conmebol no sistema de áudio.

FICHA TÉCNICA
COLÔMBIA 0x0 VENEZUELA

Competição: Copa América 2021
Data: 17/06/2021 (quinta-feira)
Horário: 18h (de Brasília)
Local: estádio Olímpico, em Goiânia
Árbitro: Eber Aquino (PAR)
Assistentes: Eduardo Cardozo (PAR) Milciades Saldivar (PAR)
VAR: Derlis Lopez (PAR)
Cartão Amarelo: Campaz, Uribe e Cuadrado (COL), Aristeguieta, La Mantía, Herrera, José Martínez e Yohan Cumaná (VEN)
Cartão vermelho: Luis Díaz (Colômbia)

COLÔMBIA: Ospina; Muñoz, Mina, Sánchez e Tesillo; Barrios, Mateus Uribe, Edwin Cardona (Luis Díaz) e Cuadrado; Luis Muriel (Campaz) e Duván Zapata (Borja). Técnico: Reinaldo Rueda.

VENEZUELA: Faríñez; Alexander González (Ronald Hernández), Adrián Martínez, La Mantía, Luis Mago e Cumaná; José Martínez, Cristian Cásseres (Edson Castillo), Manzano (Yangel Herrera) e Júnior Moreno; Aristeguieta (Córdova). Técnico: José Peseiro.