Esportes

CEO do Bayern rechaça Superliga: "Não vai resolver problemas financeiros"

O CEO e presidente do Bayern de Munique, Karl-Heinz Rummenigge, mostrou contrariou dirigentes de 12 gigantes europeus ao falar sobre a criação da Superliga - o clube alemão não está entre os organizadores do campeonato.

Em comunicado no site oficial da equipe, Rummenigge disse que o novo torneio não deve resolver os "problemas financeiros dos clubes".

"Não acredito que a Superliga resolverá os problemas financeiros dos clubes europeus que surgiram como resultado da pandemia do coronavírus. Pelo contrário, todos os clubes da Europa devem trabalhar em solidariedade para garantir que a estrutura de custos, especialmente os salários dos jogadores e agentes, para tornar todo o futebol europeu mais racional", iniciou.

O dirigente ainda elogiou o sistema atual do futebol europeu e gostou das mudanças implementadas pela Uefa na Liga dos Campeões a partir de 2024.

"Estamos convencidos de que a atual estrutura do futebol garante uma base confiável. O FC Bayern saúda as reformas da Liga dos Campeões porque acreditamos que são o passo certo para levar para o desenvolvimento do futebol europeu. A fase de grupos modificada vai contribuir para um aumento da emoção e da experiência emocional na competição", finalizou.

O que é a Superliga?

A Superliga é uma nova competição fundada por Arsenal, Manchester United, Manchester City, Chelsea, Liverpool, Tottenham, Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madri, Juventus, Internazionale de Milão e Milan.

Ela planeja ter jogos no meio de semana e substituir a Liga dos Campeões da Europa como o palco dos confrontos entre as maiores estrelas do futebol mundial.

Os 12 fundadores e mais três clubes ainda não anunciados são participantes fixos, estão classificados automaticamente todos os anos e jamais ficam de fora; outros cinco clubes participariam, selecionados com base em seu desempenho em campeonatos nacionais.