Esportes

Ceni vê lance de Reinaldo passível de vermelho: "Mas era interpretativo"

Classificação e Jogos

O lance de maior polêmica do empate sem gols entre São Paulo e Athletico, hoje (24), no Morumbi, saiu aos 13 minutos do primeiro tempo. Em uma disputa no meio de campo, Reinaldo chegou atrasado e acabou pisando no tornozelo de Renato Kayzer.

O árbitro Leandro Pedro Vuaden mostrou cartão amarelo para o lateral são-paulino. A partida ficou paralisada por alguns minutos para a checagem do VAR, que respeitou a decisão de campo. O atacante atleticano precisou deixar a partida por causa do lance.

Em entrevista coletiva depois da partida, o técnico Rogério Ceni afirmou ter revisto o lance depois e mudado de opinião. No momento da jogada, ele foi um dos que reclamou da demora de Vuaden para ouvir o VAR.

"Na hora eu achei que foi uma dividida e o pé resvala depois no jogador do Athletico. Vendo agora pela TV, eu acho que era possível interpretar até como um cartão vermelho. Acho que era possível, sim, era um lance, na minha opinião, interpretativo, mas uma falta muito no limite do amarelo para o vermelho", disse Rogério.

Reinaldo acabou sendo substituído no intervalo da partida por Léo. Questionado, Rogério admitiu que a mudança foi influenciada pelo cartão amarelo. Além dele, Benítez entrou na partida antes do início do segundo tempo, no lugar de Marquinhos.

"A saída do Reinaldo se deu, sim, pelo cartão. A entrada do Benítez, para tentar dar mais qualidade eu tenho que jogá-lo para o meio. Para eu jogá-lo para o meio, só tenho uma maneira de jogar que é marcar mano a mano os zagueiros: Benítez, Rigoni e Calleri nos três zagueiros e jogar praticamente um mano a mano no segundo tempo, tentando empurrar o Athletico para trás", explicou Ceni, justificando a mudança de esquema tático com as substituições.