Esportes

Botafogo busca "equilibrar expectativas" na procura por novo treinador

A diretoria do Botafogo está no mercado da bola em busca de um novo treinador e tenta equilibrar o perfil almejado com o orçamento, desejo da torcida e a necessidade de respostas positivas a curto prazo. Tudo isso com uma eleição presidencial batendo à porta e que promete também agitar os corredores de General Severiano.

Após a saída de Bruno Lazaroni do cargo, a cúpula do Glorioso não esconde procurar um nome que tenha um "perfil de liderança", até mesmo por conta do jovem elenco à disposição. Com nomes mais experientes no radar anteriormente, o clube mudou o foco e o alvo da vez é Ramon Menezes, ex-Vasco.

Um dos treinadores analisados foi Alexandre Gallo, que esteve recentemente no São Caetano, onde conquistou a Série A2 do Campeonato Paulista. O técnico tem passagens por diversos clubes do Brasil e do exterior, além do trabalho nas categorias de base da seleção brasileira.

O nome, porém, não agradou aos torcedores, que chegaram a fazer uma movimentação nas redes sociais contra um possível acerto, com a hashtag "Gallo Não". Mais tarde, o treinador afirmou que houve conversa com o Botafogo, mas disse que as partes não chegaram a um denominador comum.

Ao mesmo tempo, a diretoria tenta que o novo técnico seja alguém dentro do orçamento. Apesar de Carlos Augusto Montenegro, membro do Comitê Executivo de Futebol, indicar que não há um teto salarial determinado, sabe-se que o clube vive uma crise financeira.

Um outro ponto levado em conta é a urgência por resultados positivos. A classificação às quartas de final da Copa do Brasil — após a derrota para o Cuiabá em casa, no jogo de ida — e se afastar da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro são as duas missões imediatas que o novo treinador terá pela frente. Neste cenário, há uma precaução em relação a nomes estrangeiros, uma vez que haveria uma necessidade de adaptação ao futebol brasileiro e ao grupo.

Paralelamente, os corredores de General Severiano se mostram agitados com a eleição presidencial, que acontecerá no fim do mês que vem. Ontem (29), inclusive, a chapa encabeçada por Durcésio Mello pediu a impugnação da chapa liderada por Walmer Machado, alegando irregularidades na lista de inscritos pelo grupo. Até aqui, além dos dois citados, há também Alessandro Leite como candidato.

Outra movimentação nas redes

Além dos protestos em relação à possível contratação do técnico Alexandre Gallo, os alvinegros foram às redes sociais para um outro "pedido". A hashtag "Volta, Laércio" foi um assunto bastante comentado durante o dia de ontem.

Neste caso, trata-se de Laércio Paiva, líder de "projeto um" da S.A que Montenegro denominou. Ele se afastou do processo recentemente e, agora, ainda de acordo com Montenegro, a diretoria tenta levar à frente o "projeto dois", que está sendo encabeçado por Gustavo Magalhães.

Segundo o ex-presidente alvinegro explicou em entrevista concedida na noite da última quarta-feira, no projeto um houve a captação de R$ 180 milhões dos R$ 250 milhões necessários para concretizar a S.A, mas com o foco em investidores brasileiros e alvinegros — um pedido de um grupo que fez o aporte de R$ 126 milhões.

Já nesta nova fase, que começou do zero, há a busca também de capitais estrangeiros e algumas adaptações para conseguir tirar o planejamento do papel.