Esportes

Adversário do Inter fez pré-temporada no Brasil e levou Mascote

Classificação e Jogos

O pouco conhecido Always Ready, da Bolívia, é o adversário do Internacional na estreia pela Copa Libertadores. Hoje (20), às 19h15 (de Brasília), a equipe brasileira encara altitude de La Paz para enfrentar o atual campeão boliviano. Sem muitos holofotes, o rival passou pelo Brasil no início do ano em pré-temporada e levou um jogador ao regressar para casa: Mascote.

Franklin Geovane da Santana Chagas é quem atende pelo apelido de Mascote. Com 24 anos, o atacante é natural de Candeias, na Bahia, e tem no currículo passagens por Tiradentes-CE, Taboão da Serra-SP, CSA, São Caetano, Braga-POR, Pouso Alegre e Cabofriense, além do Atibaia, clube pelo qual chamou atenção do Always Ready.

Foi no amistoso realizado em 13 de fevereiro, com vitória por 3 a 0 da equipe do interior paulista. Mascote fez dois gols e atraiu toda atenção da partida. Quando acabou o período no país, o clube boliviano negociou o empréstimo do jogador por uma temporada.

"É um atacante de muita qualidade, nos faz falta hoje", disse o presidente do Atibaia, Alexandre Barbosa, ao UOL Esporte.

Mascote é um apelido que Franklin carrega da infância. Desde pequeno acompanhava o pai, Genival nos jogos do time amador do qual fazia parte, o Santa Cruz, da comunidade do Passé. Os colegas diziam que ele era "mascote do time". E de tanto chamar, ficou.

"É um apelido de infância que meu pai me deu. Ele tinha um time amador na comunidade e eu pedia para jogar nas partidas, mas ele falava que não porque eu ainda era muito novo e por conta disso era o mascote do time. Eu era bem novo quando o apelido foi inventado, e, até hoje, todo mundo me conhece como Mascote lá onde eu moro", disse o atacante ao UOL Esporte. O apelido não incomoda em nada. Franklin jamais pensou em mudar ou pedir para não ser chamado assim.

Mascote ainda não participou de partidas oficiais pelo clube em razão do limite de estrangeiros. O jogador, porém, está concentrado para atuar na Libertadores, onde não há tal limitação.

Mascote participa de treinamento pelo Always Ready, rival do Inter na Libertadores - Arturo Orgaz/Always Ready - Arturo Orgaz/Always Ready
Imagem: Arturo Orgaz/Always Ready

Além da derrota para o Atibaia, o Always Ready, que se hospedou na cidade do interior paulista acostumada a receber delegações para períodos de treinamento, inda perdeu para Audax e Portuguesa, empatou com a Inter de Limeira e o time sub-20 do Palmeiras, e venceu o time sub-20 do Santos.

A opção por realizar a pré-temporada no Brasil aconteceu de olho na Libertadores. Com a previsão de enfrentar argentinos e brasileiros na competição de clubes mais importante do continente, o Always Ready optou pelo país.

"Jogamos contra o time reserva deles, é difícil ter um parâmetro para o time que enfrenta o Inter. Jogaram contra o Santos B com time titular, conosco com reservas. Não é parâmetro. Tem altitude ainda que o Inter vai enfrentar, e eles [Always Ready] reforçaram o time após a pré-temporada", disse o presidente do Atibaia.

"Não vi o time titular jogar. Vi imagens do campeonato deles, mas é complicado, não foi contra nós. Contra nós foi o time reserva, nosso time jogou muito, eles não tiveram muitas chances. Nosso time joga a [Série] A2 do Paulista, mas é muito bom, só está na divisão errada", completou.

Ex-Corinthians e mais dois brasileiros

Ainda no grupo da equipe boliviana há um ex-corintiano famoso na Bolívia. Juan Carlos Arce, que passou pelo time do Parque São Jorge em 2007, assinou com o Always Ready nesta temporada, após dez anos no Bolívar. O atacante já disputou quatro partidas por lá, até o momento.

Hoje aos 36 anos, o jogador tem longa trajetória no futebol. No Brasil, também passou pelo Sport, em 2009. Além de ter defendido times da Rússia, da Coreia do Sul, do Qatar, e participado de quatro edições da Copa América com a seleção.

Ainda há outros dois brasileiros no grupo. Formado na base do Flamengo, o mais relevante no plantel é Vander Vieira. O atleta de 32 anos tem na carreira passagens pelo futebol da Bulgária, do Chipre, do Emirados Árabes Unidos, e assinou com o time boliviano nesta temporada. Ele também participou dos quatro jogos do Always Ready neste ano.

Quem fecha a lista é Everton Sena, que na temporada passada defendeu o Cuiabá. Na trajetória dele constam passagens por Vitória, CRB, Goiás e Santa Cruz.

Outro nome conhecido no elenco é o goleiro Calos Lampe, boliviano com passagem pelo Boca Juniors, da Argentina.

Os efeitos da altitude costumam afastar alguns atletas de lá. Ex-Grêmio, o centroavante Júnior Viçosa relatou que desistiu do clube após dois meses por ter sofrido em treinamentos e jogos.

Mascote também contou que sofreu com os problemas gerados pelos mais de 4 mil metros acima do nível do mar do estádio Municipal El Alto, onde o Always Ready manda seus jogos. Pelo menos o duelo desta vez será em La Paz, aproximadamente 400 metros "mais baixo". "Mas é praticamente a mesma coisa", sentenciou o atacante.