Esportes

2 a 2 no Maracanã | Flu e Ceará empatam com 1º gol de revelação e lesão inusitada

2 a 2 no Maracanã | Flu e Ceará empatam com 1º gol de revelação e lesão inusitada

Em jogo agitado, Fluminense e Ceará ficaram no empate em 2 a 2 na noite de hoje (17), no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. O jovem Luiz Henrique, cria da base tricolor, abriu o placar e fez o seu primeiro gol como profissional. O Vozão virou com gols de Charles e Vina, mas Danilo Barcelos, aos 45 minutos do segundo tempo, deixou tudo igual. O fato inusitado é que Vina deslocou o ombro após seu tento.

Com o resultado, a equipe das Laranjeiras, que chegou a seis jogos sem perder, alcançou 26 pontos, enquanto o Vozão foi a 19. Na próxima rodada, a equipe de Odair Hellmann recebe o Santos, no Maracanã. Já o Ceará encara o Coritiba, na Arena Castelão.

Flu: perda de espaço e empate "na raça"

O Flu começou a partida pressionando o adversário e tendo mais posse de bola, mas sem conseguir ser muito efetivo. Após abrir o placar, perdeu espaço e viu o adversário "ganhar campo". Odair Hellmann fez alterações em uma tentativa de mudar o cenário, mas as chances não foram criadas como esperado. No fim, conseguiu o empate.

Ceará: virada com golaço e castigo

O Ceará demorou um pouco a entrar no jogo, mas, depois, conseguiu encaixar e em diversos momentos esteve melhor na partida. Os avanços, principalmente pelo lado esquerdo do ataque, com Léo Chú e Sóbis, foram armas bem exploradas. Porém, o Vozão esbarrava na falta de capricho para finalizar as jogadas. Falta de capricho essa que não faltou ao Vina, que fez o segundo, mas o Flu chegou ao empate no fim.

Vina se machuca na comemoração após marcar para o Ceará contra o Fluminense - CELSO PUPO/ESTADÃO CONTEÚDO - CELSO PUPO/ESTADÃO CONTEÚDO
Vina se machuca na comemoração após marcar para o Ceará contra o Fluminense
Imagem: CELSO PUPO/ESTADÃO CONTEÚDO

"Cara nova" à beira do gramado

O Ceará não pôde contar com o técnico Guto Ferreira à beira do gramado, que teve de cumprir suspensão. O auxiliar Alexandre Faganello foi quem deu as orientações ao time no confronto com o Flu.

Mudança logo no começo

O jogo mal havia começado e o técnico Odair Hellmann já teve de fazer a primeira substituição. Yago Felipe acusou um incômodo na coxa esquerda e deixou a partida, sendo substituído por André.

Busca por espaço

Nos minutos iniciais, o Fluminense tinha a posse de bola, girava o jogo, mas mostrava dificuldade para furar a defesa do Ceará. Fred protagonizou os dois primeiros lances mais perigosos. Primeiramente, aproveitou bobeira da zaga, dominou e experimentou de longe. Depois, após corta-luz de Nenê, acabou furando a bola e desperdiçou a chance.

Gol do cria

A equipe das Laranjeiras chegou ao gol com um jogador criado na base. Depois de boa trama pela esquerda, Danilo Barcelos cruzou na cabeça do jovem Luiz Henrique, que surgiu sem marcação nas costas da defesa. Ele subiu e, de cabeça, mandou para a rede. Foi o primeiro gol dele no profissional.

Outra postura

Após o gol, aos poucos, o Ceará começou a equilibrar as ações da partida. Em certo momento, os visitantes conseguiram "empurrar" o Flu, que passou a apostar nas saídas em velocidade.

Bola na área e empate

Na reta final do primeiro tempo, o Ceará conseguiu igualar o placar. Após cobrança de escanteio, Charles desviou na primeira trave, a bola bateu em Hudson em meio a uma confusão na área e entrou.

Foi para frente

Na volta do intervalo, Odair Hellmann colocou o atacante Caio Paulista na vaga do volante Hudson, avançando o time tricolor.

Quase a virada

Mas quem quase chegou ao segundo gol logo no início da etapa final foi o Ceará. Vina achou Léo Chú, que invadiu a área e bateu cruzado, próximo à trave esquerda de Muriel.

Vozão melhor

Enquanto o Tricolor se mostrava um time com falha na ligação entre os setores, o Ceará levava perigo de forma constante, dando trabalho à zaga adversária. Desta forma, Odair mudou de novo no time e colocou Ganso e Marcos Paulo, em uma tentativa de alterar o cenário que se apresentava.

Vina vira com golaço e se machuca

O segundo gol do Ceará surgiu em um erro de Digão e oportunismo de Vina. O zagueiro tricolor foi tentar driblar e o atacante do Vozão roubou, avançou, driblou Muriel e balançou a rede. No lance, ele caiu e machucou o ombro esquerdo, não tendo mais condições de permanecer na partida — foi substituído por Lima.

Na hora do gol, eu caí sobre o meu ombro e ele saiu do lugar, mas já voltou. Por isso não pude comemorar, mas mesmo se pudesse, eu não iria por respeito ao Fluminense. Tive um ano muito legal em 2015 no clube".

Quem não faz...

O Flu foi para o "tudo ou nada" no fim do jogo e o Ceará tentou aproveitar os espaços deixados na defesa. Nesta correria, quase que o Vozão chegou ao terceiro, quando Kelvyn apareceu na área e finalizou, mas foi travado. No lance seguinte, o Fluminense chegou ao empate, com Danilo Barcelos.

Após cruzamento de Caio Paulista pela esquerda, Fred cabeceou e Danilo Barcelos bateu para deixar tudo igual.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 2 X 2 CEARÁ

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 17 de outubro de 2020, sábado
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Ricardo Bezerra Chianca (PE)
VAR: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Cartões amarelos: Digão, André, Igor Julião (FLU); Tiago, Pedro Naressi
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols: Luiz Henrique, aos 12 minutos do primeiro tempo (FLU); Charles, aos 41 minutos do primeiro tempo (CEA); Vina, aos 32 minutos do segundo tempo (CEA); Danilo Barcelos, aos 45 minutos do segundo tempo (FLU)

Fluminense: Muriel, Igor Julião, Nino, Digão e Danilo Barcelos; Dodi, Hudson (Caio Paulista) e Yago (André) (Felippe Cardoso); Nenê (Ganso), Luiz Henrique (Marcos Paulo) e Fred. Técnico: Odair Hellmann

Ceará: Fernando Prass, Fabinho, Eduardo Brock e Bruno Pacheco; Pedro Naressi (Leandro Carvalho), Charles, Fernando Sobral e Vina (Lima); Léo Chú (Kelvyn) e Rafael Sóbis (Cléber). Técnico: Guto Ferreira