Esportes

1 a 1 na Série B do Brasileiro | Com final dramático, Vasco e Cruzeiro só empatam

1 a 1 na Série B do Brasileiro | Com final dramático, Vasco e Cruzeiro só empatam

Vasco e Cruzeiro empataram por 1 a 1 em um jogo com direito a muito drama em São Januário. O duelo, que é um dos mais tradicionais do futebol nacional, abriu a 25ª rodada do Brasileirão da Série B, e terminou com os gols de Nenê, para os anfitriões, e Ramon, para os mineiros. Nos acréscimos da partida, o Vasco chegou a marcar o segundo gol com Daniel Amorim, mas o lance foi revisado e anulado pelo VAR. No minuto seguinte, a Raposa aproveitou o cochilo da zaga adversária e deixou tudo igual.

A partida também marcou o reencontro do Vasco com seu torcedor. Diferentemente do Cruzeiro, o time carioca ainda não havia jogado com os portões abertos. Pouco mais de 300 cruz-maltinos estiveram presentes. Pela proximidade entre os times na tabela e a distância da dupla para o G-4, o clássico ganhou contornos ainda mais dramáticos. Com o resultado, o Vasco vai aos 34 pontos, na 9ª colocação, enquanto o Cruzeiro soma 31, em 13º. Resultado ruim para ambos, já que o CRB, atual quarto colocado, tem 41 pontos e um jogo a menos. Na próxima rodada, o Vasco visita o Brusque (na sexta), enquanto o Cruzeiro recebe o CSA (no domingo).

Morato para em Fábio por duas vezes

A primeira etapa da partida foi bastante truncada e com poucas finalizações dos dois lados. O Vasco controlou o adversário desde o início, mas pouco agrediu. Nas duas primeiras vezes que conseguiu ser perigoso, o time parou nas ótimas defesas de Fábio. Em um duelo particular contra Morato, o goleiro espalmou uma cabeçada venenosa e foi buscar um chute rasteiro no cantinho. Nome do jogo até então, Fábio ainda viu Thiago invadir a área, mas o atacante chutou à direita do Vanderlei e desperdiçou a única boa chance do Cruzeiro antes do intervalo.

Insistência do Vasco termina em gol de Nenê

Além de Morato, Nenê foi outro nome bastante participativo na partida. Mas o placar inalterado acabou irritando os torcedores em São Januário, que começaram a chiar antes mesmo do intervalo. Coube ao camisa 77, que fazia sua estreia diante da torcida, dar mais justiça ao marcador quando o primeiro tempo parecia se encaminhar com o empate. Próximo dos acréscimos, Cano acertou a trave de Fábio e Nenê pegou o rebote para balançar as redes. Misto de euforia e alívio nas arquibancadas.

Estreantes na beira do gramado

Recém-chegado, o técnico Fernando Diniz fez seu segundo jogo pelo Vasco, mas o primeiro em São Januário e também diante da torcida. No lado celeste, as expulsões de Vanderlei Luxemburgo e Maurício Copertino (auxiliar imediato) na rodada passada abriram espaço para o pentacampeão Belletti (auxiliar da comissão permanente) comandar uma equipe profissional pela primeira vez na carreira.

Filme repetido?

Contra o CRB, o Vasco de Diniz foi intenso, marcou no fim do primeiro tempo, mas perdeu o gás na etapa final até ser castigado com o empate. O cenário em São Januário também apresentou suas semelhanças. Após o intervalo, o Cruzeiro cresceu e ameaçou com mais facilidade diante de um Vasco já sem tanta energia. Mas o time da casa voltou para o jogo e acabou reequilibrando a partida. Em duas oportunidades, Fábio voltou a mostrar serviço e evitou o segundo gol vascaíno. Nos acréscimos, o Cruzeiro foi para o abafa e conseguiu o empate com Ramon, aproveitando a sobra de bola dentro da pequena área. Antes disso, o Vasco também chegou ao gol com Daniel Amorim, mas o lance foi anulado após revisão do VAR.

VASCO 1x1 CRUZEIRO

Motivo: 25ª rodada do Brasileiro da Série B
Data/Hora: 19/09/2021, às 16h (de Brasília)
Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Hugo Savio Xavier Correa e (GO) e Paulo Cesar Ferreira de Almeida (GO)
VAR: Rodolpho Toski Marques (PR)

GOLS: Nenê, 44'1ºT (1-0); Daniel Amorim, Ramon, 49'2ºT (1-1)
Cartões amarelos: Andrey, Cano (VAS), Marcelo Moreno, Eduardo Brock (CRU)
Cartão vermelho: Não teve.

VASCO: Vanderlei; Léo Matos, Ricardo Graça, Leandro Castan e Riquelme (Wálber); Andrey, Marquinhos Gabriel; Morato (Gabriel Pec), Nenê (Bruno Gomes), Léo Jabá; Germán Cano (Daniel Amorim). Técnico: Fernando Diniz.

CRUZEIRO: Fábio; Rômulo, Eduardo Brock, Ramon e Matheus Pereira (Dudu); Adriano, Marco Antônio (Flávio), Giovanni (Rafael Sóbis) e Wellington Nem (Felipe Augusto); Thiago e Marcelo Moreno (Claudinho). Técnico: Belletti (auxiliar).