Educação

Inep já tem substitutos para os 37 servidores que pediram demissão

Inep já tem substitutos para os 37 servidores que pediram demissão

O presidente do Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, já tem em sua mesa uma lista com nomes para substituir os 37 coordenadores e coordenadores adjuntos que pediram exoneração de seus cargos às vésperas do Enem. Segundo a reportagem de VEJA apurou, Dupas pretende fazer as mudanças após o segundo dia da prova, que vai ocorrer no próximo domingo, 28. Os indicados já foram inclusive submetidos à aprovação da Casa Civil, em um procedimento de rotina para a contratação desses servidores.

As principais mudanças devem ocorrer dentro da Diretoria de Avaliação da Educação Básica, diretamente responsável pelo Enem e por outras avaliações importantes como o Saeb, que mede a qualidade da educação nos Ensinos Médio e Fundamental. É aguardada, inclusive, a substituição do atual diretor, Anderson Oliveira. Há cerca de um mês, diante de conflitos em torno da elaboração da prova, Dupas já consultava currículos para ocupar essa diretoria estratégica.

Em virtude do cargo que ocupa, Anderson foi diretamente responsável pela edição do Enem deste ano, que trouxe questões que desagradaram o Planalto e o ministro da Educação, Milton Ribeiro. Entre elas, um item de interpretação de texto que trazia a música “Admirável Gado Novo”, de Zé Ramalho. Publicamente, o governo articulou o discurso de que as perguntas comprovavam que não havia interferência política na elaboração do teste. Aos auxiliares mais próximos, no entanto, Dupas demonstrou que desaprovava algumas partes da prova.

Nos corredores do Instituto, comenta-se que os 37 cargos vagos devem ser ocupados por pessoas de outros órgãos da administração federal. Antes de Anderson, que é servidor de carreira do Inep, a Daeb foi ocupada por dois militares. Os atuais servidores do órgão são vistos como empecilhos para as mudanças que o governo pretende implementar no órgão.

Na diretoria de Tecnologia, que está vaga há meses, cogitou-se inclusive a contratação de Policiais Federais, mas o processo foi abandonado no meio do caminho.  Há três semanas, VEJA revelou com exclusividade que um policial federal entrou no ambiente seguro onde a prova é montada. A autorização, que foi retirada do Sistema Eletrônico de Informações, por onde trafegam os atos administrativos, veio de Eduardo Nepomuceno, atual Chefe da Assessoria de Governança e Gestão Estratégica, que originalmente é funcionário da Agência Nacional de Telecomunicações, Anatel. 

A reportagem entrou em contato com o Inep, questionando sobre os nomes que devem ocupar os 37 cargos disponíveis na autarquia, mas, até o momento, não obteve resposta.

  • Leia mais
  • Após três dias, novo álbum de Adele é o mais vendido do ano nos EUA
  • China libera a importação de carne brasileira certificada antes do embargo
  • Netflix fará minissérie sobre incêndio na boate Kiss