Economia

Totvs pede isonomia em negociação pela Linx e ameaça deixar disputa

Totvs pede isonomia em negociação pela Linx e ameaça deixar disputa

Já não é novidade que Stone e Totvs degladiam-se pela aquisição da Linx. O imbróglio já virou novela. Mas ganhou novos ingredientes nesta segunda-feira, 21. A Stone, favorita (e favorecida, segundo a rival) no certame, recebeu aval da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês) para a incorporação dos ativos da Linx. Já à noite, um comunicado ao mercado efetuado pela Totvs deu a entender que a companhia está sendo preterida na negociação. Digamos que os controladores da Linx estejam analisando toda a disputa com “dois pesos e duas medidas”, o que está deixando os executivos da Totvs, no mínimo, irritados.

A Totvs prorrogou, no último dia 11, a validade de sua proposta para combinação de negócios com a Linx até 13 de outubro, desde que se mantenham condições de tratamento igualitário e equânime. Acionistas minoritários declararam que a proposta da Totvs é mais justa e permitiria aos acionistas da Linx serem detentores de aproximadamente 24% da nova companhia oriunda da combinação dos negócios. A intenção dos controladores da Linx, no entanto, parece ser priorizar a proposta da Stone. Em carta assinada por Gilsomar Maia Sebastião, vice-presidente financeiro e diretor de relações com investidores da Totvs, a empresa ameaçou deixar o certame caso as condições de igualdade não forem respeitadas e os acionistas da Linx não tenham o direito de decidir, de forma soberana, sobre o futuro da companhia.