Economia

Stone sofre ação coletiva nos Estados Unidos por fraude

Stone sofre ação coletiva nos Estados Unidos por fraude

O escritório de advocacia americano Bragar Eagel & Squire, em nome do investidor Ronald Ray, abriu uma ação coletiva na Justiça dos Estados Unidos contra a Stone, a fintech brasileira que tem ações negociadas na Nasdaq. No processo, o investidor acusa os diretores da Stone de fraude por supostamente terem dado declarações falsas ou enganosas sobre o problema que tiveram com suas operações de crédito, reportadas em balanço trimestral neste ano e que fez as ações da empresa despencarem. Nos últimos seis meses, as ações da Stone caíram quase 73%. Cerca de 35% somente nos últimos 5 dias. 

No processo, a Stone é acusada de não ter informado adequadamente que estava enfrentando dificuldades na implementação de seu produto de crédito e que enfrentou riscos significativos por meio de seu fornecedor de ponto de venda, a PAX Global Technology que está sendo investigada pelo FBI. “As declarações positivas dos Réus sobre os negócios, operações e perspectivas da Empresa eram materialmente enganosas e / ou careciam de uma base razoável”, diz o processo em que os investidores tentam um indenização pela queda das ações. Como é uma class action, outros investidores poderão fazer parte do pleito. 

  • Leia mais
  • Guedes aproveita convocação para apelar por reformas na Câmara
  • Lira usa reforma administrativa para defender semipresidencialismo
  • Com inflação alta, efeito do 13º salário na economia deve ser minimizado