Economia

Ômega viveu guerra de liminares antes de completar fusão

Ômega viveu guerra de liminares antes de completar fusão

A Ômega anunciou neste domingo a conclusão da fusão entre a Ômega Geração e Ômega Energia no dia 23 de dezembro, mas a operação viveu uma guerra de liminares durante o fim de semana. Os controladores da empresa precisam ainda depositar em juízo, até o meio da tarde desta segunda-feira, 20, 15 milhões de reais para fazer frente ao processo movido por acionistas minoritários. Na sexta-feira, um grupo de minoritários da Ômega Energia havia conseguido uma liminar que suspendia os efeitos da assembleia geral extraordinária que decidiu pela fusão, alegando um prejuízo de 10 milhões de reais. Ontem, os controladores reverteram a decisão, mas sob a condição do depósito. A Ômega é uma das maiores empresas de energia limpa do país e vale cerca de 5 bilhões de reais na bolsa de valores. A guerra de liminares antecipa a instalação de uma arbitragem em que os minoritários alegam que a fusão é baseada em avaliações fraudulentas que supostamente teriam feito a empresa perder 1,4 bilhão de seu valor.

*Quer receber alerta da publicação das notas do Radar Econômico? Siga-nos pelo Twitter e acione o sininho.