Economia

Mercado repercute inflação — e segue a saga dos precatórios

Mercado repercute inflação — e segue a saga dos precatórios

VEJA Mercado | Abertura | 10 de novembro.

Na ressaca da aprovação da PEC dos Precatórios na Câmara dos Deputados, o mercado, ainda, não vai poder desligar do assunto — para o qual vira o nariz e só quer que se encerre. Os investidores prometem, agora, atentar-se para as maiores dificuldades do governo de aprovar o texto no Senado e as repercussões, também ainda, da suspensão do pagamento das emendas RP9, o Orçamento Secreto, pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Ainda no cenário interno, a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve pautar os investidores. O índice que mede a inflação acelerou e ficou em 10,67% no acumulado em 12 meses de outubro a outubro. O IPCA avançou 1,25% no mês passado em relação a setembro, acima das projeções do mercado.

No cenário internacional, olhos atentos para a inflação americana e também a repercussão da divulgação da variação dos preços na China, que avançaram 1,5% no mês passado em relação a setembro. Os investidores também voltam-se à Braskem e à MRV, que apontaram lucro líquido de 3,5 bilhões de reais e 165 milhões, respectivamente, no terceiro trimestre, revertendo o prejuízos registrados no mesmo período do ano passado. Uma concessão de ações da Petz para investir em suas operações também está no radar do mercado nesta quarta-feira.

  • Leia mais
  • Inflação acelera ainda mais em outubro e chega a 10,67% em 12 meses
  • Ministro de Minas e Energia diz que preço do petróleo ainda vai subir mais
  • Câmara aprova PEC dos Precatórios, que abre espaço para o Auxílio Brasil