Economia

Indústria de eletrônicos cobra governo por linha de crédito que nunca veio

Indústria de eletrônicos cobra governo por linha de crédito que nunca veio

A indústria de eletro-eletrônicos, representada pela associação do setor, a Abinee, fez uma cobrança ao governo no mínimo constrangedora. Há mais de seis meses, o presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que instituiu o programa de apoio de desenvolvimento tecnológico da indústria de semicondutores, o Padis, que criava um crédito financeiro para que as empresas pudessem investir na produção desses itens. O problema é que este crédito nunca veio por falta de regulamentação. Então, a Abinee mandou uma carta, muito educada, obviamente, ao ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto perguntando por que o crédito, que foi criado como resposta à derrota do Brasil na Organização Mundial do Comércio, o que quebrou a proteção à indústria nacional, nunca veio.

Braga Netto, por sua vez, encaminhou a cobrança para que o Ministério da Economia resolva. Lá dentro, foi parar na Receita Federal. O motivo, não se sabe, uma vez que a Receita não faz empréstimos e nem cria linhas de crédito. Parece que vai demorar ainda para que o problema da indústria de semicondutores seja resolvido.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter