Economia

Governo já prepara plano B para Bolsa Família turbinado em ano eleitoral

Governo já prepara plano B para Bolsa Família turbinado em ano eleitoral

Alguns membros da tropa de choque do centrão não têm visto o aumento da miséria como uma ameaça, mas como uma oportunidade para a reeleição de Bolsonaro, já que ainda falta um ano para as eleições.  Na leitura política, só tem um ator que é reconhecido pelos eleitores por distribuir Bolsa Família: o governo federal. O recado para o Congresso é o de que o governo vai dar um jeito de encontrar dinheiro para programa social em ano de eleição. A casa legislativa precisa aprovar alguma saída orçamentária para reajustar o Bolsa Família a 300 reais dentro do teto. Mas o governo já se prepara com outras alternativas como propor a prorrogação do auxílio emergencial, em que os recursos são usados fora do teto, dizem fontes próximas ao Planalto. O empenho será ainda maior quando o PP, de Ciro Nogueira e Arthur Lira, confirmar o presidente Bolsonaro como membro do partido e candidato. O embate mesmo vai se dar no Senado.

Nesta semana, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), já avisou que a equipe econômica não deve contar com a aprovação do projeto do imposto de renda para ter os recursos disponíveis e deveria pensar em alternativas.

+O recado de Rodrigo Pacheco a Bolsonaro sobre o Bolsa Família

  • Leia mais
  • Relator da PEC dos Precatórios propõe limite de R$ 40 bi em 2022
  • Eleição vai definir futuro de ativos brasileiros, diz CEO da BGC Liquidez
  • Pedidos de seguro-desemprego voltam a cair nos EUA