Economia

Economia avalia que decisão da Ford destoa de 'forte recuperação' do setor

Economia avalia que decisão da Ford destoa de 'forte recuperação' do setor

Em nota divulgada na noite desta segunda-feira, 11, o Ministério da Economia lamenta a decisão da Ford de fechar suas três fábricas de automóveis no Brasil encerrar a produção de veículos no país.

De acordo com a pasta comandada por Paulo Guedes, o anúncio da montadora reforça a necessidade de uma rápida implementação de medidas para melhorar o ambiente de negócios, e de avançar nas reformas estruturais.

Mas o ministério também avalia que a decisão da Ford destoa de uma “forte recuperação” observada no setor industrial brasileiro. “A decisão da montadora destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país, muitos já registrando resultados superiores ao período pré-crise”, afirma o texto.

A pasta destacou ainda que trabalha de forma intensa na redução do chamado “Custo Brasil”. “O ministério trabalha intensamente na redução do Custo Brasil com iniciativas que já promoveram avanços importantes. Isto reforça a necessidade de rápida implementação das medidas de melhoria do ambiente de negócios e de avançar nas reformas estruturais”, segue o comunicado.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, no Twitter, disse que a decisão reflete a “falta de credibilidade” do governo federal em segurança jurídica e sistema tributário.

Em resposta, o chefe da Secretaria Especial de Comunicação do governo, Fabio Wajngarten acusou Maia de mentir sobre os fatos e afirmou que ele busca holofotes. Na opinião de Wajngarten, a decisão da marca não tem relação com a situação atual do país.

A Ford divulgou nesta segunda-feira o encerramento imediato da produção nas fábricas de Camaçari (BA) e Taubaté (SP). Já a fábrica localizada em Horizonte (CE) vai continuar as operações até o fim de 2021.

“Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil, atendendo nossos consumidores com alguns dos produtos mais empolgantes do nosso portfólio global”, afirmou a empresa em nota. Segundo a montadora, o mercado sul-americano continuará sendo atendido pela marca, que mantém fábricas no Uruguai e na Argentina.

Anfavea

A Anfavea, associação que representa as montadoras de veículos no Brasil, afirmou em comunicado que respeita e lamenta a decisão da Ford. “Mas isso corrobora o que a entidade vem alertando há mais de um ano sobre a ociosidade local, global e a falta de medidas que reduzam o ‘Custo Brasil’”, declarou.

Confira a íntegra da nota do Ministério da Economia

O Ministério da Economia lamenta a decisão global e estratégica da Ford de encerrar a produção no Brasil. A decisão da montadora destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país, muitos já registrando resultados superiores ao período pré-crise. O ministério trabalha intensamente na redução do Custo Brasil com iniciativas que já promoveram avanços importantes. Isto reforça a necessidade de rápida implementação das medidas de melhoria do ambiente de negócios e de avançar nas reformas estruturais.