Economia

A estratégia da Via para a Black Friday, com a Shopee no encalço

A estratégia da Via para a Black Friday, com a Shopee no encalço

Se 2020 foi o ano da explosão do e-commerce, 2021 tem se mostrado mais desafiador para as empresas do varejo, seja pelo cenário macroeconômico do país, que viu a inflação e os juros voltarem a subir firmemente, ou pela investida asiática no mercado brasileiro, sobretudo por meio do AliExpress e da Shopee, o aplicativo de comércio eletrônico mais baixado do país. Essas empresas estrangeiras ingressaram no Brasil sob forte investimento em marketing e têm tirado o sono das varejistas tradicionais. A próxima briga é pela Black Friday.

Não está fácil para ninguém se posicionar para disputar a liderança entre os marketplaces. A Via, dona de Casas Bahia, Extra e Ponto, que atingiu a marca de 100 mil lojistas na internet em setembro, abriu uma plataforma para auxiliar os parceiros por meio de cursos, treinamentos e distribuição de bônus, a Via Academy. “Nascemos varejistas e hoje somos muito mais que isso e, por sermos vendedores, sabemos muito que podemos contribuir com o desenvolvimento dos lojistas”, destaca Fernanda Winck, diretora de operações do marketplace da Via. Dentre as estratégias, a empresa vai distribuir um milhão de reais entre dois mil lojistas na plataforma de anúncios do grupo, com o objetivo de estimular os empresários a destacarem seus produtos nos sites da companhia.

  • Leia mais
  • Estatais ainda possuem pouca transparência
  • Alan Krueger, o quarto Nobel de Economia, que morreu antes do prêmio
  • Mercado eleva projeção de inflação e prevê crescimento menor em 2022