Brasil

Laboratórios veterinários poderão ser convertidos em fábricas de vacina

Laboratórios veterinários poderão ser convertidos em fábricas de vacina

Daqui até o final desta semana técnicos do Ministério da Saúde e do Ministério da Agricultura visitarão pelo menos três fábricas de medicamentos veterinários que poderão ser convertidas para a produção de vacinas contra a Covid-19.

As fábricas estão localizadas em São Paulo e Minas Gerais e teriam capacidade, ao final do processo de conversão, para a produção de até 90 milhões de doses a cada 35 dias, segundo cálculo de auditores fiscais agropecuários.

As unidades a serem modificadas são das empresas Ouro Fino, Merck Sharp and Dohme e Ceva.

A ideia é, além de converter as plantas fabris, utilizar também câmaras frias que normalmente são usadas para o armazenamento de vacinas contra a febre aftosa.

O objetivo é ampliar a oferta de centros de produção de imunizantes no Brasil.