Vida

Santuário precisa de ajuda para construir cocheiras para cavalos resgatados de maus-tratos

Por David Arioch

Divulgação

Com um trabalho iniciado em 2015, o Santuário Filhos de Shanti, situado em Pindamonhangaba (SP), já resgatou dezenas de animais vítimas de maus-tratos. E mais de 50 ainda vivem no santuário – como cavalos, cães, gatos, ovelhas e cabras.

No entanto, como todo o trabalho é feito sem fins lucrativos, e com apoio voluntário, hoje o santuário está em busca de ajuda para a construção de seis cocheiras e um brete de contenção.

“Eles precisam dormir em cocheiras. Resgatamos cavalos que necessitam de curativos diários, a falta de brete dificulta o trabalho e nos expõe a riscos”, informa a fundadora do santuário, Rosangela Coelho.

Para alcançar o objetivo, Rosangela criou uma campanha no site Vakinha, com o objetivo de arrecadar 20 mil reais a serem usados para custear mão de obra e material, que inclui costaneiras, pilares, madeiras para o telhado e telhas, entre outros itens.

Divulgação

“Só de cavalos, cuidamos diariamente de 12, e todos os dias há pedidos de resgate. Além de Pindamonhangaba, já acolhemos animais de Taubaté, Tiradentes, Ubatuba e Tremembé, etc”, declara.

A história do Santuário Filhos de Shanti começou em 2015, quando Rosangela e alguns voluntários resgataram uma égua grávida, que estava extremamente magra e com duas pernas machucadas.

“Prometi a ela que jamais a abandonaria e que seu filho nasceria livre. Então mudei toda a minha vida pra cumprir isso. Saí de casa e aluguei uma chácara pequena, e a partir daí nunca mais paramos. Já mudamos de local quatro vezes porque cresceu o número de animais resgatados”, relata.

E acrescenta: “Todos os dias praticamente somos chamados pra resgate, e acolhemos os que podemos, os casos graves, como animal fraturado, lesionado, com falência dos músculos, os que precisam de cirurgias em hospital. Então temos que investir muito neles para recuperá-los. A gente faz brechós, rifas, eventos e uso meu salário (já que tenho emprego), mas nunca é o suficiente.”

Uma das histórias de destaque do santuário é a de Francisco, um cavalo que teve inúmeras fraturas, centelha aberta e foi encontrado sendo atacado por urubus:

Divulgação

“Ele era potro ainda, tinha cinco meses quando foi atropelado. Levaram sua mãe e o deixaram na rua a noite toda. Ele ficou 11 meses internado no Hospital Veterinário da USP. Fez várias cirurgias, tratamento com células-tronco. O caso dele era eutanásia. Mas lutamos e ele venceu. Continua em tratamento com fisioterapeuta aqui no santuário desde novembro.”

Para contribuir com o Santuário Filhos de Shanti, clique aqui.

Divulgação

Ou você pode realizar uma doação diretamente em conta bancária:

Caixa Econômica Federal

Rosangela A Coelho
Agência: 1817
Operação: 013
Conta Poupança: 18850-2
CPF: 3180116895

Santander

Agência: 0056
Conta Corrente: 01080139-1
Rosangela A Coelho

Para mais informações, ligue para (12) 99641-3053

Acompanhe o trabalho do santuário:

Facebook

Instagram: @santuariofilhosdeshanti


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.