Vida

Indígena 'socialista 2 vezes' | VW T-Cross 2021 ganha multimídia do Nivus e fica mais caro; veja os preços

Indígena 'socialista 2 vezes' | VW T-Cross 2021 ganha multimídia do Nivus e fica mais caro; veja os preços

Pouco mais de um mês após iniciar a pré-venda do Nivus, a Volkswagen apresentou hoje a linha 2021 do T-Cross, o automóvel mais vendido do Brasil em julho e o líder do ranking de SUVs no acumulado do ano.

A principal novidade é que o T-Cross 2021 incorpora em todas as configurações a central multimídia VW Play, que estreou no Nivus e foi desenvolvida no Brasil.

Já o volante e o logotipo VW são os mesmos da linha 2020, enquanto o Nivus já traz a nova identidade visual e a mesma direção do Golf 8 vendido na Europa.

Além disso, o T-Cross permanece sem outros itens disponíveis no "irmão menor", como o controle de velocidade de cruzeiro adaptativo e a frenagem automática de emergência.

A gama permanece com quatro versões:

Os preços ficaram mais caros: a linha 2020 dessas versões tem preços de, respectivamente, R$ 90,7 mil, R$ 96.590, R$ 110.290 e R$ 118.690.

A título de comparação, o Nivus Comfortline tem preço de R$ 85.890, enquanto a configuração Highline é vendida por R$ 98.290, sem opcionais.

Mais itens de série

Volkswagen T-Cross 2021 - Divulgação - Divulgação
Central VW Play traz a mesma tela tátil de 10,1 polegadas e aplicativos disponíveis no Nivus
Imagem: Divulgação

Para compensar o reajuste nos preços, agora desde a versão de entrada o T-Cross passa a trazer de série, além da VW Play, entrada USB no console central, indicador de controle da pressão dos pneus, regulagem de altura dos faróis e o sistema de frenagem automática pós-colisão, que reconhece o primeiro impacto frontal, aciona automaticamente o sistema de freios e evita colisões sequenciais.

Câmera de ré, sensores de estacionamento dianteiros e dois alto-falantes extras, totalizando seis, estão à disposição no único pacote opcional, cujo preço ainda não foi informado.

Por falar nisso, a VW informa que reduziu o número de combinações possíveis para a gama de 30 para apenas 12.

Já o T-Cross Comfortline passa a sair de fábrica com ar-condicionado digital, câmera de ré, porta-malas com sistema de ajuste variável de espaço, sensor dianteiro de estacionamento, retrovisores externos com rebatimento automático, Iluminação ambiente em LED, sensor de chave, partida do motor por botão, detector de fadiga e as mesmas rodas de liga leve e 17 polegadas da versão Highline.

Sem GPS nativo

Com a adição da central VW Play, que gradualmente será incorporada por outros modelos da marca, o T-Cross perdeu o suporte para celular com porta USB para recarga no topo do painel. Além disso, não traz mais GPS nativo com espelhamento no painel digital Active Info Display, quando disponível.

Agora, para navegar é preciso usar um aplicativo como o Waze, como já acontece com o Nivus.

A exemplo do SUV cupê derivado do Polo, várias funções anteriormente controladas por botões passam a ser operadas por meio da tela sensível ao toque da multimídia - como a seleção dos diferentes modos de condução e a ativação do sistema de estacionamento semiautônomo.

Versão para PCD mantida

Quando à versão Sense, voltada para clientes PCD (pessoas com deficiência), responsável por mais de 60% das vendas do T-Cross, a Volks informa que ela permanece na gama.

A linha 2021 será lançada, no entanto, somente após a fabricante completar as entregas das encomendas já realizadas e paralisadas por conta do fechamento temporário da fábrica de São José dos Pinhais (PR), decorrente da pandemia do coronavírus.

Hoje novas encomendas estão suspensas. A VW não confirma, mas é grande a possibilidade de o T-Cross Sense perder alguns itens de série para seguir com preço inferior a R$ 70 mil, que dá direito à isenção total de ICMS, IPI e IPVA para deficientes.