Vida

FMI: Criação intensiva de animais degrada recursos naturais

FMI: Criação intensiva de animais degrada recursos naturais
Pixabay

O Fundo Monetário Internacional (FMI) publicou este mês um artigo que defende que a humanidade, mais do que nunca, necessita de sistemas alimentares sustentáveis, apontando que a questão não pode ser mais negligenciada considerando o impacto da pandemia de Covid-19.

Além de essenciais para a manutenção das atividades econômicas, sistemas sustentáveis são imprescindíveis para compensar a incapacidade do atual sistema alimentar de suprir as necessidades da população mundial.

“A reconstrução das economias após a crise da Covid-19 oferece uma oportunidade única de transformar o sistema alimentar global e torná-lo resistente a futuros choques, garantindo nutrição ambientalmente sustentável e saudável para todos”, informa a publicação assinada por representantes do FMI e da Organização das Nações Unidas (ONU).

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Os autores ressaltam que a criação intensiva de animais para consumo e a utilização de aditivos químicos nos sistemas de monocultura estão degradando com celeridade os recursos naturais, e isso vem dificultando e esgotando as possibilidades de recuperação.

Impacto da criação de animais para consumo

Além disso, são responsáveis por pelo menos um quarto das emissões de gases do efeito estufa na atmosfera. Somente a criação de gado para produção de carne responde pela metade das emissões, conforme o artigo “Why Sustainable Food Systems are Needed in a post-COVID World”.

Com base em dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o texto reforça, assim como inúmeros outros trabalhos de pesquisa sobre o tema, que a criação de animais em confinamento, o que por padrão na agropecuária significa sempre pequenos espaços, favorece o surgimento de doenças letais e promove a resistência antimicrobiana.

Ou seja, a resistência a antibióticos em consequência do uso excessivo de medicamentos para acelerar o crescimento de animais que serão abatidos para consumo, assim como prevenir infecções que podem surgir como resultado das difíceis condições de vida às quais esses animais são submetidos.

Clique aqui para entender como o consumo de carne favorece pandemias ou clique aqui para saber mais sobre o impacto da resistência antimicrobiana.