Vida

Deputado sugere ao MEC disciplina de "bem-estar animal"

Ao mesmo tempo em que argumenta que o bem-estar animal só pode ser garantido quando o animal “é capaz de expressar seus comportamentos livre de dor”, ele enfatiza que devem ser abordados “temas próprios relacionados às boas práticas da indústria agropecuária” | Pixabay
Ao mesmo tempo em que argumenta que o bem-estar animal só pode ser garantido quando o animal “é capaz de expressar seus comportamentos livre de dor”, ele enfatiza que devem ser abordados “temas próprios relacionados às boas práticas da indústria agropecuária” | Pixabay

O deputado Lincoln Portela (PL-MG) encaminhou ao Ministério da Educação uma sugestão de inclusão de disciplina de “bem-estar animal” na grade curricular. Ele defende que os estudos sobre bem-estar animal buscam compreender como os animais estão se adaptando em relação ao ambiente em que vivem.

“Considera-se um bom nível de bem-estar quando o animal está seguro, saudável, bem nutrido, capaz de expressar seus comportamentos sem embaraço e livre de estados físicos e mentais negativos, como dor, estresse, etc”, informa no texto da sugestão.

Lincoln Portela diz que o tema demanda engajamento de toda a sociedade e sustenta que a escola possui papel fundamental na educação de crianças e jovens sobre o bem-estar animal.

Porém, ao mesmo tempo em que argumenta que o bem-estar animal só pode ser garantido quando o animal “é capaz de expressar seus comportamentos livre de dor”, ele enfatiza que devem ser abordados “temas próprios relacionados às boas práticas da indústria agropecuária”, além de crueldade contra os animais, maus-tratos e abandono de população de cães e gatos.