Vida

China abre mercado para marcas livres de testes em animais

China abre mercado para marcas livres de testes em animais
Pixabay

Há anos a China enfrenta críticas pela política retrógrada de exigir que todos os produtos cosméticos, como maquiagens, perfumes, shampoos e etc, que entram no país sejam testados em animais. Com isso, marcas veganas eram vetadas de serem comercializadas no país, o que impedia que a população tivesse acesso à produtos livres de crueldade contra animais, mas, felizmente, isso está mudando.

Em 2019, a Administração Nacional de Produtos Médicos da China adotou novos critérios de regulação de produtos e flexibilizou a entrada de produtos que não são submetidos a testes em animais. A PETA auxiliou o processo fornecendo um financiamento inicial para treinar cientistas chineses para a adoção de métodos substitutivos, modernos e aprovados em todo o mundo.

Para realizar testes em animais para a liberação de produtos tópicos, geralmente são escolhidos coelhos ou porquinhos-da-índia. Esses animais têm suas costas raspadas e nesse local o produto é depositado ou injetado. Ocasionalmente também aplicam produtos nos olhos dos animais para testes de irritabilidade. Felizmente, avanços significativos foram feitos na década de 1990 como o crescimento de tecido humano em placas de Petri, reduzindo a exploração de animais.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Em 2012, a PETA expôs o fato de que algumas empresas anteriormente livres de crueldade começaram silenciosamente a pagar ao governo chinês para testar seus produtos em animais para vendê-los naquele país. Na época, eram necessários testes em animais para qualquer cosmético vendido na China. Após essa denúncia, a organização decidiu reunir uma equipe de cientistas para atuar na China e implementar políticas de métodos alternativos.

Resultados positivos incentivaram o governo chinês a aceitar o uso de métodos substitutivos, não só para produtos de outros países, mas, inclusive, os produzidos no próprio país. Ativistas em defesa dos direitos animais esperam que esse seja um importante passo para o fim da crueldade animal em testes laboratoriais.