Vida

CES em Las Vegas | Avatar inspira carro autônomo da Mercedes com bolas em vez de rodas

CES em Las Vegas | Avatar inspira carro autônomo da Mercedes com bolas em vez de rodas

A Mercedes marca sua participação na edição deste ano da CES (Consumer Electronics Show), a maior feira de tecnologia do mundo, com o Vision AVTR.

O carro-conceito foi revelado em prévia acompanhada por UOL Carros, na noite de ontem (6), em Las Vegas (EUA), e estará exposto na CES 2020, que começa hoje (7).

Mais que um protótipo, o modelo apresenta promessas ousadas da marca para o futuro. O AVTR é inspirado no universo dos filmes de "Avatar" e foi desenvolvido em conjunto com sua equipe de produção, incluindo o seu diretor e criador James Cameron, que participou da apresentação do protótipo.

"O carro incorpora a nossa visão de uma conexão bem pensada entre humanos e tecnologia em um futuro muito distante, bem como a nossa missão de contribuir para um ambiente sustentável e habitável para as próximas gerações", afirmou Ola Källenius, CEO e presidente do conselho administrativo da Daimler AG.

Em Avatar, os Na'vi, habitantes do planeta Pandora, vivem em simbiose com a natureza local e são capazes de conectar seus corpos e mentes com animais e plantas. É esta conexão que a Mercedes busca no AVTR, com o que chama de "design centrado no ser humano" e "fusão homem máquina", justamente os conceitos principais do desenvolvimento do protótipo.

"A pergunta essencial é: o que queremos para o futuro? Queremos ser os que tomam ou os que cuidam? Esse carro não é apenas um avanço tecnológico, mas a manifestação física de uma filosofia, de uma ideia emocional. E é muito importante que uma empresa como a Mercedes assuma esse compromisso com a sustentabilidade", disse Cameron.

Inspiração em Pandora

Ricardo Ribeiro/UOL
Imagem: Ricardo Ribeiro/UOL

Tanto no exterior como no interior do carro, as formas e iluminações trazem elementos das paisagens de Pandora e das formas de interação entre os integrantes do seu ecossistema.

As escamas da pele de um dos animais do filme, por exemplo, inspiraram os 33 flaps multidirecionais que tomam a traseira. As peças levantam e se movimentam conforme a necessidade, como um aerofólio fragmentado expandido ou um "multi-spoiler".

Outras inspirações na franquia dos cinemas estão no formato dos bancos, que reproduzem as redes de folhas gigantes onde dormem os Na'vi, e nas rodas, que são como esferas e permitem andar de lado, como um caranguejo.

Se os nativos de Pandora podem conectar fisicamente o cérebro para cavalgar dinossauros alados, o AVTR emite pulsos luminosos e vibrações, conforme "sente" a presença e até os batimentos cardíacos do motorista.

"Conectividade é muito mais que parear um telefone. O AVTR é um verdadeiro elo homem máquina. A evolução do carro sempre foi sobre a interface. Quanto mais natural, melhor. Oportunidades para construir, mas não se perder em complexidade. É interagir com o carro como quem interage com um amigo", comentou Källenius.

Minimalismo

Não há botões nem volante. Uma tela gigante confere uma sensação de profunda imersão nas paisagens, onde exterior e interior se confundem e informações de pontos de interesse podem ser acessados.

Alguns comandos são projetados nas mãos dos ocupantes e reconhecem gestos. O protótipo tem condução autônoma, mas também pode ser controlado por uma alavanca na parte central - como se fosse um joystick.

"O AVTR foi desenvolvido como um organismo vivo, que expande seus sensores e se comunica com o ambiente externo e com o motorista. É uma verdadeira fusão homem, máquina e natureza", diz Klaus Frenzel, head da área de Gráficos Digitais e Design da Daimler AG.

O protótipo também estreia novos materiais verdes que impressionam pela qualidade. Há tecidos feitos de plástico reciclado, madeira de produção sustentável e um revestimento de microfibra reciclada vegana, que substitui o couro.

O protótipo também usa o que a Mercedes chama de a próxima geração de baterias, a orgânica, atualmente em desenvolvimento pela marca. Ela é 100% reciclável, sem metais e com eletrólitos a base de água. As atuais baterias de íons de lítio utilizam níquel, cobalto e reações com eletrólitos químicos mais pesados.

"Avatar é um conto de preservação, onde o bem vence a ganância. E as forças colonizadoras que tentam explorar e destruir esse ecossistema são derrotadas por humanos que utilizam uma tecnologia de interação homem máquina", lembra Bettina Fetzer, vice-presidente de marketing da divisão de automóveis da Mercedes-Benz. "O AVTR é inspirado nesta história e criado para um mundo futuro distante, de uma simbiose orgânica, em que humanos vivem em harmonia com a natureza."

No entanto, apesar de ser um estudo para o futuro, a Mercedes promete que tecnologias e materiais presentes no protótipo serão adotados gradualmente em seus próximos lançamentos, nas mais diferentes formas.

Viagens à parte, as apresentações da Mercedes antecipam a visão de futuro da marca com a responsabilidade de quem inventou o automóvel e o reconhecimento de que perdeu terreno para a concorrência e precisa rejuvenescer.

"O AVTR traz a nossa ideia de luxo moderno sustentável. São os nossos planos de para elevar a Mercedes para o próximo nível, em um mercado cada vez mais competitivo. Levar a tradição que temos neste caminho", afirmou Markus Schäfer, membro do conselho administrativo da Mercedes.

Lembra do filme?

Lançado em 2009, Avatar mostra o conflito entre os habitantes locais do planeta Pandora, que têm conexão particular com a fauna e a flora local, e humanos recém-chegados, que têm panos de explorar os recursos naturais. A Terra está destruída, consumida pela poluição, no ano de 2154.

Sucesso de bilheteria, o filme ficou conhecido por ter inaugurado novas tecnologias de captação e efeitos especiais.

Os times de design e engenharia da Mercedes se basearam não apenas no filme de 2009, como também com materiais das sequências atualmente em desenvolvimento. "Avatar 2" está previsto para chegar aos cinemas em 2021.

* Viagem a convite da Mercedes-Benz