Vida

Celebridades se unem para pedir proteção para as girafas contra o tráfico de animais selvagens

Robert Muckley/Getty Images

Robert Muckley/Getty Images

Uma lista de celebridades escreveu ao comissário de meio ambiente da União Europeia, Karmenu Vella, pedindo a ele que apoie a proposta das nações africanas para proteger as girafas, espécie sem cobertura legal pela CITES e que teve uma queda significativa nos números das populações.

Entre as celebridades que assinam a carta aberta estão Alesha Dixon, Martin Clunes OBE, Deborah Meaden, Anneka Rice, Susan George, Virginia McKenna OBE, Brian Blessed OBE, Fiona Shaw CBE, Steve Backshall e Lucy Watson.

As populações de girafas diminuíram em até 40% nos últimos 30 anos. A proposta será discutida em uma reunião da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Silvestres (CITES) em Colombo no Sri Lanka, a partir do final de maio, mas tem poucas chances de sucesso sem o apoio do bloco votante da UE.

Na carta aberta que foi assinada também pela Fundação Born Free, Humane Society International, Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal, Pro Wildlife, Animal Defenders International, Conselho de Defesa dos Recursos Naturais, Centro de Diversidade Biológica, Animal Welfare Institute e Avaaz, as estrelas pedem à comissão da UE que “estique o pescoço um pouco mais pelas a girafas”, apoiando a inclusão da espécie no Apêndice II da CITES.

A carta diz: “O mamífero mais alto do mundo é amado por muitos por sua beleza e graça. Esses gigantes gentis são ícones da savana africana, e toda criança sabe que ´G´ é de girafa. Mas, infelizmente, esta espécie icônica está sofrendo uma ´extinção silenciosa´ porque poucos estão cientes da situação. As populações de girafas diminuíram aproximadamente 40% nos últimos 30 anos. Se não agirmos rapidamente, a girafa poderá desaparecer para sempre”.

A proposta foi apresentada pela República Centro-Africana, Chade, Quênia, Mali, Níger e Senegal, e é apoiada também pelos 32 membros da nação africana pertencentes a Coalizão do Elefante Africano, que divulgou uma declaração mês passado reconhecendo o declínio das populações de girafas. Uma petição da Avaaz também recebeu 1,3 milhão de assinaturas de apoio de pessoas do todo o mundo.

Segundo o Center for Biological Diversity os cientistas rotularam a situação das girafas como uma “extinção silenciosa” devido à falta de atenção e apoio que a espécie está recebendo. Assegurar o apoio do bloco de votação dos Estados-Membros da UE é fundamental para a proposta da girafa ter sucesso, mas até agora a UE tem hesitado em apoiar a proposta. Os representantes da UE devem se reunir e concordar com a sua posição sobre esta e outras propostas em 28 de março, então as celebridades e grupos em pros dos direitos animais vão se unir para aumentar o seu apelo à UE para agir.

Virginia McKenna OBE, atriz e cofundadora da The Born Free Foundation, disse: “Os itens triviais como alças de bolsas de ossos de girafas, uma capa da Bíblia feita do mesmo material, um pé de girafa como ornamento, deveriam ser objetos de vergonha. O mundo realmente enlouqueceu se as pessoas valorizassem mais isso do que as belas criaturas vivas que desempenham um papel vital na sobrevivência da savana africana. Os animais sofrem e sentem dor como nós – ou não nos importamos?”.

A cantora Alesha Dixon disse: “Me entristece pensar que nossos filhos ou netos possam crescer em um mundo sem girafas, então espero que os formuladores de políticas façam a coisa certa e apoiem a proposta de proteger esta bela espécie.”

Enquanto as populações de girafas continuam a diminuir, a espécie tornou-se comum no tráfico da vida selvagem. Um relatório da Humane Society International mostra que os Estados Unidos importaram cerca de 40 mil exemplares de itens de girafas entre 2006 e 2015, como troféus de caça, peças de decoração e cabos de facas, além de grandes carregamentos de animais vivos. A UE é também é um consumidor ativo dos produtos girafa, pesquisas online detalhadas na proposta, registram mais de 300 produtos de girafa a venda por vendedores de sete países da União Europeia: Bélgica, França, Alemanha, Grécia, Itália, Espanha e Reino Unido.

A proposta procura dar às girafas proteções que ao menos controlem o comércio internacional da espécie que atualmente esta desprotegidas. Uma listagem no Apêndice II da CITES exigiria que países exportadores provassem que espécimes de girafas foram legalmente obtidos e que a exportação não é prejudicial à sobrevivência da espécie. Além disso, a listagem forneceria aos pesquisadores e governos dados importantes para rastrear o comércio de girafas em todo o mundo, segundo o Center for Biological Diversity.

Compartilhe isso:

  • Clique para compartilhar no Twitter(abre em nova janela)
  • Clique para compartilhar no Facebook(abre em nova janela)
Compartilhar
Pin
Compartilhar164
+1
164 Compart.

Curtir isso:

Curtir Carregando...

Últimas notícias