Vida

Cachorro cego e faminto é encontrado vivendo em um colchão no meio do lixo

Foto: Compassion Without Borders

Christi Camblor parou imediatamente a van que dirigia quando viu o velho pastor alemão deitado na pilha de lixo em Puerto Peñasco, no México. O cachorro era pele e osso, e claramente estava em péssimo estado de saúde. Se deixado lá, ele provavelmente não viveria por mais uma semana.

“Foi muito triste vê-lo naquelas condições”, disse Camblor, co-fundador da ONG Compassion Without Borders, um grupo que resgata cães em situação de rua no México. “Ele estava no meio de uma pilha de lixo, mas estava tentando encontrar um espaço confortável, então se acomodou sobre os restos de um colchão rasgado”.

Infelizmente, cães famintos vivendo nas ruas são uma visão comum no México, explicou Camblor. Às vezes, as pessoas alimentam e dão abrigo aos cães que andam pelas ruas, mas outras vezes os cães ficam completamente abandonados, e geralmente esses são os que mais precisam de ajuda.

Foto: Compassion Without Borders
Foto: Compassion Without Borders

Havia um mercado perto da pilha de lixo onde o cãozinho se encontrava, então Camblor e sua equipe de voluntários perguntaram a alguns moradores sobre o cachorro, a quem chamariam de Don Felipe mais tarde, para ver se ele vivia com alguém.

“Eles disseram que ele realmente era um cão sem-teto, estava lá há cerca de um mês e que era cego”, disse Camblor. “Todos na área o conheciam como o cachorro velho e cego que vivia na pilha de lixo”.

Camblor não tinha ideia se Don Felipe era amigável, então ela se aproximou dele cautelosamente.

Foto: Compassion Without Borders
Foto: Compassion Without Borders

“Eu não queria assustá-lo porque sabia que ele não podia enxergar”, disse ela. “Mas no momento em que me ajoelhei ao lado dele, Don Felipe foi muito amigável. Ele respondeu muito bem a minha aproximação e me deixou acaricia-lo e toca-lo. Ofereci-lhe um pouco de comida e ele imediatamente comeu – ele comeu com vontade”.

Camblor passou vários minutos no terreno com Don Felipe, tentando mostrar a ele que ela não queria fazer mal e que ele estava seguro. Quando sentiu que ele estava confortável, ela o pegou e o colocou na traseira de sua van e dirigiu até a clínica veterinária da organização em Puerto Peñasco.

“Ele realmente estava sentado no meu colo na traseira da van”, disse Camblor. “Ele foi tão sensível à menor gentileza, apenas se inclinando para mim e apreciando seus animais de estimação. Ele se sentiria confuso, com certeza. Ele provavelmente nunca esteve em um carro, mas parecia pronto para confiar”.

Foto: Compassion Without Borders
Foto: Compassion Without Borders

Don Felipe estava finalmente fora das ruas, mas ainda tinha muitos problemas físicos a superar, disse Camblor. Antes de tudo, ele tinha passado muita fome, o que o fragilizou e deixou letárgico. Ele também tinha anemia, artrite avançada e uma doença autoimune que era parcialmente responsável por sua cegueira.

Mas com amor, cuidados e tratamento médico, Don Felipe rapidamente melhorou – ele ganhou peso, seus movimentos dos membros melhoraram e ele até recuperou parte de sua visão.

Depois de passar cerca de um mês no centro de resgate da organização no México, Don Felipe foi transferido através da fronteira para o centro de resgate da organização na Califórnia. Pouco tempo depois, uma mulher de Boston viu o vídeo de Don Felipe e se ofereceu para adotá-lo.

“Ela simplesmente se apaixonou perdidamente por ele”, disse Camblor. Eles conseguiram arrecadar dinheiro para que Don Felipe fosse de avião até ela, embora ele só vá partir daqui há duas semanas.

Enquanto Don Felipe espera ir para seu novo lar, ele desfruta intensamente todos os dias no centro de resgate na Califórnia.

Foto: Compassion Without Borders
Foto: Compassion Without Borders

“Ele gosta de correr com outros cães”, disse Camblor. “Ele é um cachorro maravilhoso, saudável e feliz”.

Mas no México ainda existem milhares de cães de rua que precisam de ajuda, e há poucos recursos para ajudá-los.

“Praticamente não há programas que forneçam acesso a castração ou esterilização de baixo custo ou gratuitos, ao contrário dos EUA”, explicou Camblor. “Também não há muitos abrigos de animais ou programas de adoção. Na maior parte do México, o controle de animais consiste em animais sendo tirados das ruas para serem eletrocutados”.