Vida

Burro cai após não aguentar peso da carga e é abandonado por carroceiro

Burro cai após não aguentar peso da carga e é abandonado por carroceiro
Foto: Diário do Aço

Moradores da cidade de Ipaba, no interior de Minas Gerais, denunciam a exploração e maus-tratos de um burrinho forçado a puxar carroças por homem idoso. No início desta semana, o animal não suportou o peso da carga e tombou. Ao invés de socorrer o animal, o carroceiro simplesmente o abandonou, ferido e agonizando, à própria sorte.

Em uma entrevista ao portal Diário do Aço, uma testemunha que preferiu não se identificar afirma que animal estava em situação precária. “Frustrado, o tutor do burro tirou o arreio da carroça e foi-se embora, abandonando o animal, que estava bastante machucado e cansado. Com isso, moradores inconformados com a cena, cuidaram dos ferimentos do burro, que tinha um machucado grave em seu dorso e teve uma pata quebrada. Eles também deram água e comida para o animal”, disse.

Ele denuncia também que os maus-tratos são frequentes, mas desconhece a identidade do agressor. “Não sabemos o nome dele. O que eu sei é que o trabalho dele é relacionado a atividades agropecuárias e que é morador do Centro de Ipaba. No dia do caso, várias pessoas o viram passando com o burro pela rua Joaquim Vicente Bonfim, batendo muito no animal, que estava puxando uma carroça bastante pesada”, pontua.

A cidade não possui órgãos públicos e secretarias destinadas à proteção animal. Moradores chamaram a polícia, mas nada foi resolvido. Segundo testemunhas, o responsável pela agressão ao burrinho já teria adquirido outro animal e simplesmente descartado o ferido, chegando a negar que fosse responsável pelo burro, que está sobrevivendo com a ajuda de moradores.

Lamentavelmente, por ser uma cidade pequena e predominantemente rural, é comum a exploração de animais em veículos de tração. No entanto, é preciso salientar que a lei que pune maus-tratos é de âmbito federal e cabe aos órgãos responsáveis colocá-la em prática.

Crime

No Brasil, crimes contra animais estão previstos na lei 9.605 de 1998. Uma vez acusado, o responsável pode ser punido com multa e até um ano de detenção. No entanto, em uma entrevista à Agência de Notícias de Direitos Animais, o advogado criminalista e consultor da ANDA Sérgio Tarcha explica que existe um novo projeto que torna a pena de crimes de maus-tratos mais rigorosa.

Segundo Tarcha, apesar de trazer avanços, crimes contra animais ainda não são vistos com gravidade pela Justiça. “A pena, hoje, é de 3 meses a 1 ano de detenção, ou seja, é nada. A lei que regula a matéria é a lei de crimes ambientais, 9.605/98, a nova lei, 11.210/18, que já foi aprovada pelo senado eleva para 1 a 4 anos de detenção, mais a multa. Ainda continua muito branda a legislação, em outros países é muito mais severo”, disse.