Vida

América Latina mais próxima de proteger os golfinhos da Amazônia

América Latina mais próxima de proteger os golfinhos da Amazônia
Pixabay

Recentemente, o Comitê Científico da Comissão Baleeira Internacional aprovou a proposta apresentada pela Colômbia, Peru, Equador e Brasil, que em 2021, lhes permitirá contar com um plano de gestão de conservação dos golfinhos do Rio Amazonas.

“Esse plano busca promover a conservação das espécies de golfinhos Inia geoffrensis, Inia boliviensis, Inia araguaiaensis e Sotalia fluviatilis concentradas nas bacias dos rios Amazonas, Orinoco, Tocantins/Araguaia, através de uma estratégia conjunta”, explica Andrea Ramírez, Diretora de Assuntos Marítimos e Costeiros e Recursos Aquáticos do Ministério do Meio Ambiente.

Esses animais, acrescenta Ramírez, enfrentam uma série de ameaças que incluem pesca, emaranhados, perda de habitat, contaminação, mudanças climáticas e poluição sonora.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Esses planos de gestão de conservação já foram desenvolvidos para algumas populações de cetáceos vulneráveis como a baleia-cinzenta do oeste do Pacífico Norte, a baleia-franca-do-sul do oeste do Atlântico Sul, a baleia-franca-do-sul do leste do Pacífico Sul e o golfinho franciscana (o primeiro plano de gestão de conservação desenvolvido para uma pequena espécie de cetáceos).

Espera-se que a proposta passe rapidamente pelo processo de aprovação para que sua fase de implementação se inicie antes do término do ano de 2021.

Esta proposta foi apoiada pela WWF (sigla em inglês para Fundo Mundial para a Natureza), pelas organizações da sociedade civil dos quatro países e pela SARDI (sigla em inglês para Iniciativa Botos da América do Sul).