Vida

4ª maior do mercado | Sandero bombando e Kwid em alta: como foi o 2019 da Renault

4ª maior do mercado | Sandero bombando e Kwid em alta: como foi o 2019 da Renault

A Renault conseguiu uma das maiores façanhas de sua história no mercado brasileiro. A empresa fechou 2019 como a 4ª maior fabricante de automóveis do país.

Segundo números divulgados pela Fenabrave, a marca emplacou 239.227 unidades e conquistou 9% do mercado nacional de automóveis de passeio e comerciais leves, superando com uma margem bem apertada os 8,2% da Ford.

Curiosamente, a participação de mercado de cada empresa teve variação muita pequena de um ano para o outro. A Ford fechou 2018 com os mesmos 8,2%, enquanto a Renault tinha 8,7% - apenas 0,3% a menos.

A diferença principal está na quantidade total de emplacamentos da indústria em cada ano: em 2018, o número acumulado foi de 2.470.653 unidades, menos do que 2.658.927 automóveis e comerciais leves registrados no ano passado.

Porém, esta não é a única razão do crescimento da Renault.

Kwid com a bola toda

Sandero e Kwid tiveram bons resultados neste ano, com destaque para o subcompacto que a fabricante gosta de chamar de "o SUV dos compactos".

Fato é que o pequeno Renault caiu nas graças do público. As vendas do modelo já vinham bem nos últimos meses de 2019, mas tiveram um salto expressivo em dezembro: foram 8.174 emplacamentos no mês final, bem mais do que as 6.009 unidades registradas em novembro.

No ano, o Kwid emplacou 85.117 unidades e assumiu a liderança do segmento de hatches de entrada no ranking da Fenabrave. O modelo ficou à frente de Volkswagen Gol (81.285 emplacamentos) e Fiat Mobi (53.444).

Sandero manda bem e até Duster cresce

O Sandero também deu sua importante parcela de contribuição no crescimento da Renault. Neste ano, o hatch passou por uma reestilização e manteve os bons números de seu antecessor. Foram 50.303 unidades emplacadas de janeiro a dezembro, sendo que 5.608 delas foram licenciadas no último mês de 2019.

Já o Logan também ganhou mudanças, só que mais discretas. Além disso, o sedã passou a vir com câmbio CVT e um visual aventureiro parecido com o do Stepway. No total, ele emplacou 22.471 unidades durante o ano passado.

E quando a fase é boa até os modelos menos badalados vão bem. O Duster emplacou 3.171 unidades em dezembro e fechou 2019 com 26.090 veículos licenciados. Assim, o veterano SUV ficou bem próximo do Captur, que totalizou 28.660 emplacamentos.

E o futuro?

A Renault é uma das marcas que tem bom desempenho em vendas diretas. Porém, a empresa vai precisar manter os bons resultados se não quiser ter problemas. É o que afirma Milad Kalume Neto, gerente de desenvolvimento de novos negócios da consultoria Jato Dynamics.

"Sandero e Kwid trazem volume e visibilidade à marca. Porém, esses modelos são baratos e, assim, a empresa precisa ter vendas altas constantemente para manter os lucros", analisou.

Milad diz também que os preços mais baixos das vendas diretas também podem influenciar negativamente quando o consumidor "pessoa física" revender o carro.

"Se este consumidor comprou um veículo com pouco desconto (em comparação com os frotistas, por exemplo), a depreciação será muito mais elevada. E isso pode afastá-lo da marca de forma natural'.