Tecnologia

Vales marcianos podem ter sido formados pelo derretimento de gelo

Vales marcianos podem ter sido formados pelo derretimento de gelo

Um estudo realizado por um grupo de pesquisadores canadenses e publicado na segunda-feira (3), na revista Nature Geoscience, aponta que muitos dos vales na superfície de Marte podem ter sido formados pelo derretimento de enormes mantos de gelo – e não por rios de fluxo livre, como sugerem pesquisas anteriores.

O novo estudo desafia, portanto, a hipótese de que o planeta já tenha sido coberto por enormes sistemas fluviais alimentados por chuva e grandes oceanos.

A pesquisa se apoiou em uma análise recente de imagens de alta resolução coletadas pela câmera HiRISE, a bordo da sonda Mars Reconnaissance Orbiter, da Nasa, que concluiu que grandes rios provavelmente já fluíram na superfície de Marte bilhões de anos atrás.

Além disso, a principal coautora do estudo, Anna Galofre, e sua equipe compararam mais de 10 mil vales marcianos a canais formados sob geleiras do arquipélago do Ártico canadense e descobriram semelhanças entre eles.

"Existem, no entanto, centenas de vales em Marte, e eles parecem ser muito diferentes uns dos outros", disse Anna ao site Futurism. “Se você olha para a Terra a partir de um satélite, vê muitos vales: alguns feitos por rios, outros por geleiras, outros por outros processos, e cada tipo tem uma forma distinta.”

Os cientistas observaram ainda que apenas um pequeno número de canais provavelmente foi formado na superfície de Marte, e que o planeta era provavelmente muito mais frio do que o previsto durante a época em que os vales foram formados. Ambos os achados divergem de pesquisas anteriores.

Curiosamente, uma espessa camada de gelo também poderia ter aumentado as chances de vida na Marte antiga. Acredita-se que o gelo teria bloqueado a radiação solar, especialmente durante um período em que o planeta não tinha campo magnético.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Veja imagens enviadas pelos robôs que exploram Marte