Tecnologia

Grupo expõe empresas sobre anúncios em sites com fake news

Grupo expõe empresas sobre anúncios em sites com fake news

Nascido há quatro anos nos Estados Unidos, o Sleeping Giants chegou ao Brasil nesta semana com o intuito de mostrar empresas sobre veiculação de anúncios automáticos em sites que divulgam notícias falsas ou ultradireitistas.

“Coletivo de cidadãos em luta contra o financiamento de ódio e manifestações contrárias à democracia, à ciência e ao Estado de Direito”, diz a descrição do grupo.

O perfil, inaugurado no Twitter, Instagram e Facebook nesta semana, já alcançou quase 150 mil seguidores nas duas primeiras redes sociais e mais de 5.000 na terceira.

O movimento tem apoio de diversas personalidades, entre eles o influenciador e youtuber Felipe Neto, que comentou que “é preciso combater as fake news e o radicalismo da extrema direita com inteligência”. Ao mesmo tempo, o grupo se tornou alvo de crítica por parte de parlamentares, como o deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ). “Cuidado, você pode ser o próximo alvo dos senhores definidores da verdade”, escreveu nas redes.

Desde a sua abertura, o Sleeping Giantes denunciou a exposição de anúncios automáticos em sites que divulgam informações falsas para diversas empresas. O Telecine foi o primeiro anunciante a responder ao perfil. “Já pausamos a campanha e vamos analisar todos os portais que estão veiculando o anúncio. Somos totalmente contra a disseminação de fake news e precisamos, juntos, combate-la”, disse a empresa.

A Dell, fabricante de computadores, também foi notificada. “Assim que recebemos essa informação, solicitamos a retirada dos anúncios automáticos. Repudiamos qualquer disseminação de notícias falsas”, escreveu. Submarino, Decathlon Brasil, Printi, Fast Shop, Quinto Andar, entre outras empresas, da mesma forma, foram avisadas.

O Banco do Brasil também foi avisado. “Agradecemos o envio da informação, comunicamos que os anúncios de comunicação automática foram retirados e o referido site bloqueado. Repudiamos qualquer disseminação de fake news”, respondeu o BB.