Política

Vereador chama colega de "judeu filho da p*" na Câmara Municipal

Vereador chama colega de

As casas legislativas brasileiras têm se tornado, cada vez mais, palco de discussões dos mais baixos níveis. Nesta quarta-feira (11), foi a vez da Câmara Municipal de São Paulo se tornar cenário para agressões baixas entre legisladores. Durante a votação de um projeto de lei sobre a regulação de transporte por aplicativos, o vereador Adilson Amadeu (DEM), no meio do plenário, xingou o colega Daniel Annenberg (PSDB) de “judeu filho da puta”.

A ofensa antissemita foi registrada ao vivo pela TV Câmara SP. Em meio ao bate-boca, o presidente da Casa, Eduardo Tuma (PSDB), suspendeu a sessão e a transmissão ao vivo foi interrompida.

“Isso é racismo, isso é antissemitismo e eu não vou admitir”, afirmou Annemberg, que é irmão da jornalista Sandra Annenberg, ao portal BuzzFeed News. “Vou entrar na Corregedoria da Câmara contra ele e tomar medidas legais cabíveis. Esse tipo de injúria antissemita… a Câmara é lugar de projetos, propostas, não para agredir fisicamente”, completou o tucano em entrevista à Veja.

De acordo com Annemberg, a discussão começou pois ele teria votado contra o projeto de Amadeu, que é contra a circulação de transporte por aplicativos na capital. “Eram 23h30 e estávamos votando o projeto dele. Votei não. E aí ele começou a me agredir. Primeiro em palavras, depois chegou a quase me agredir fisicamente”, relatou.

Em nota, Adilson Amadeu afirmou que não teve a intenção de agredir a comunidade judaica e pediu desculpas.  “No calor da discussão, algo tão comum em votações polêmicas em plenário, eu realmente me excedi e, caso alguém tenha se sentido ofendido e ainda que não tenha sido uma fala generalizada, quero pedir minhas sinceras desculpas à comunidade judaica”, disse.

VEJA O MOMENTO: