Política

SUCESSÃO MUNICIPAL: cenário pré-eleitoral em Sapé segue indefinido, mas nomes já são apontados para 2020

SUCESSÃO MUNICIPAL: cenário pré-eleitoral em Sapé segue indefinido, mas nomes já são apontados para 2020

Foto: montagem / Polêmica Paraíba

Assim como em outras cidades do estado, as articulações para 2020 já estão acontecendo na cidade de Sapé, na Zona da Mata da Paraíba. Em 2020, a disputa deverá novamente ser encabeçada pelo agrupamento do atual prefeito, o socialista Roberto Feliciano, e por nomes da oposição, sendo o principal deles João da Utilar, ex-prefeito do município.

O atual prefeito foi reeleito em 2016 com 69,14% dos votos, e em 2020 deve indicar um candidato do seu grupo. Um dos nomes apontados é o do vereador e presidente da Câmara na cidade, Luiz Limeira, mais conhecido como Luizinho (Progressista). Em contato com o Polêmica Paraíba, o prefeito admitiu que Luizinho é um dos nomes lembrados, mas não quis adiantar a discussão.

“Se ele for candidato do partido, a gente apoia, mas é uma discussão que fica só para o próximo ano mesmo. Estou focado em terminar as obras que comecei, melhorar o atendimento do hospital, por exemplo. Eu acredito que já fiz muito, mas a avaliação quem faz é o povo, eu consigo andar na cidade. Prometi trabalhar e estou trabalhando”, pontuou o prefeito.

Outro nome lembrado para a disputa é o da deputada Cida Ramos, que tem base eleitoral em Sapé. Ela é vista como opção socialista na cidade, tendo o apoio do PSB e de lideranças locais que a apoiam. Ela ressaltou à reportagem, no entanto, que não quer levantar essa discussão atualmente.  “Atualmente estou focada no meu mandato, quero fazer o melhor, pois fui eleita com uma expressiva votação de pessoas de todas as classes. (…) Mas vou atuar sim na cidade, pois é minha terra, cidade que amo e que quero bem”, destacou a parlamentar.

Oposição

O ex-prefeito João Clemente (PSDB), mais conhecido como João da Utilar, promete estar na disputa mais uma vez. Em 2016, os votos atribuídos a ele não foram contabilizados depois que a candidatura dele foi barrada pela Justiça Eleitoral. Ele poderá polarizar a disputa do próximo ano ao fazer um tom crítico à atual administração.

“Temos a pretensão sim, mas vamos analisar a vontade do povo. É necessário somar as forças para que a gente possa definir esse nome. A questão da administração atual reflete exatamente o que o pessoal tem reclamado: o atendimento à saúde em todo o Brasil é deficiente, mas especialmente em Sapé a população tem sofrido com paralisações e precariedade, então é uma administração que falta muito para atender a população”, opinou.

O tucano acrescentou que já dialoga com outros partidos para formar um arco de alianças. “Temos dialogado com o Democratas, MDB, e alguns outros partidos locais; No segundo semestre desse ano vamos conversar com mais próximos para discutir, e coloco o meu à disposição”, garantiu.

Quem também deverá estar na disputa é Josivaldo Veloso, mais conhecido como Josivaldo da Caixa. Ele é filiado ao PRB, mas está dialogando com PTB e PRP e deve disputar a prefeitura em um desses dois partidos. Enquanto pré-candidato, ele faz críticas à atual administração e deseja reunir a oposição em torno do seu nome.

“A única bandeira da atual administração é pagar em dia. A cidade está estagnada e temos uma proposta de crescimento econômico. A oposição tem que se unir. Se a oposição que vem do povo quiser mudar Sapé, a cidade vai mudar. Sou Natural de Sapé, tenho 30 anos de Caixa, é um projeto muito lecal.

Morte de Jonny Rocha

A configuração política em Sapé mudou após a morte do vereador Jonny Rocha, então presidente da Câmara Municipal da cidade. Ele faleceu em um acidente de carro, na BR-230, próximo à Santa Rita. Ele era considerado um dos fortes candidatos a prefeito de Sapé em 2020 e sua morte prematura deixou um vácuo na política local. Aponta-se que o irmão dele, Júnior Rocha, pode vir a ser candidato na cidade.

Outras lideranças que também são apontadas como possíveis candidatas não atenderam as ligações da reportagem.

Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Polêmica Paraíba