Política

Primeira-dama do RJ | Alvo de ação da PF, Helena Witzel é hospitalizada após crise de hipertensão

Primeira-dama do RJ | Alvo de ação da PF, Helena Witzel é hospitalizada após crise de hipertensão

A advogada Helena Witzel, mulher do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), foi levada hoje a um hospital da capital fluminense após sentir um mal-estar devido a uma crise de hipertensão.

Segundo a assessoria do governo, a primeira-dama foi atendida no Hospital Central Aristarcho Pessoa, no bairro do Rio Comprido, e liberada no início da tarde.

Pessoas ligadas ao casal relatam o estado de ansiedade da primeira-dama desde a última segunda-feira, quando a Operação Placebo apontou que o escritório de advocacia dela recebeu pagamentos de empresa pertencente a dois presos pela Lava Jato —ambos apontados como operadores do empresário Mario Peixoto.

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) também autorizou apreensão e quebrou o sigilo dos dados contidos nos telefones e demais equipamentos eletrônicos de Witzel e Helena.

O governador acompanhou a mulher até o hospital, mas voltou ao Palácio Laranjeiras antes de Helena receber alta. A primeira-dama se recuperou recentemente de covid-19, assim como Wilson Witzel.

Por meio de nota, a primeira-dama informou que a HW Assessoria Jurídica prestou serviços para a empresa apontada na investigação, "tendo recebido honorários, emitido nota fiscal e declarado regularmente os valores na declaração de imposto de renda do escritório".

Em sua defesa, ela ressaltou que a diligência não encontrou nada que pudesse comprovar irregularidades e classificou a operação como "imbuída de indisfarçada motivação política".