Política

Presidência | Bolsonaro posa sem máscara em evento da independência dos EUA em Brasília

Presidência | Bolsonaro posa sem máscara em evento da independência dos EUA em Brasília

O presidente (sem partido) almoçou hoje (4) com o embaixador americano no Brasil, Todd Chapman. Ele foi recebido na casa do diplomata, em Brasília, junto com outros ministros brasileiros, para as celebrações da independência dos Estados Unidos, comemorada hoje.

O presidente postou uma foto do encontro nas redes sociais, em que aparece com quatro ministros, o embaixador americano e outros funcionários do governo brasileiro e americano. Eles estão próximos um ao outro, e nenhum usava máscara. O equipamento de proteção é aconselhado pela Organização Mundial da Saúde e de uso obrigatório no Distrito Federal.

Na foto aparecem o adido de Defesa americano, Lorenzo Harris, os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Fernando Azevedo (Defesa), o embaixador Todd Chapman, Bolsonaro, os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Braga Netto (Casa Civil) e o almirante Flávio Rocha (Secretário Especial de Assuntos Estratégicos).

Nas celebrações do ano passado, Bolsonaro também havia participado. Este ano, o evento foi mais reservado, em razão dos cuidados para evitar a disseminação do novo coronavírus.

A ida de presidente brasileiro à comemoração do feriado americano era incomum até Bolsonaro assumir o Executivo. Em 2019, ele chegou a se comparar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no evento, e convidou o norte-americano para uma visita ao Brasil, o que não ocorreu até agora.

Visita a SC

Pela manhã deste sábado, Bolsonaro viajou para Santa Catarina. O presidente sobrevoou áreas de cidades atingidas pelo "ciclone bomba". A agenda no Sul demorou cerca de duas horas.

Pelo Twitter, Bolsonaro prestou solidariedade às vítimas e disse que o governo federal enviou equipes da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil ao estado. "Que Deus conforte as famílias das vítimas desta e de toda situação que o país atravessa atualmente", escreveu.

*Com Estadão Conteúdo