Política

Partido rachado | Joice afirma que Eduardo agiu pelas costas de Bolsonaro e cita "golpe" no PSL

Partido rachado | Joice afirma que Eduardo agiu pelas costas de Bolsonaro e cita

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) afirmou que Eduardo agiu pelas costas do próprio pai, o presidente da República, , ao colocar o delegado Waldir como líder do PSL na Câmara, durante transmissão ao vivo, realizada nas redes sociais na tarde de hoje.

Segundo Hasselmann, Bolsonaro era contra o nome de Waldir como líder do PSL e determinou, naquela ocasião, que fosse feita a eleição para líder. Foi nesse momento, diz Hasselmann, que Eduardo teria coletado nomes de parlamentares para colocar o delegado como líder da bancada, agindo contra a vontade do próprio pai. (Assista ao vídeo, na íntegra, abaixo)

"O Eduardo foi quem indicou o Waldir para ser líder do PSL. Ele indicou. Eu não queria. Eu fui contra. O presidente foi contra e determinou a eleição. Quando saímos da reunião, imediatamente, o Eduardo —contra o próprio pai, traindo o próprio pai— começou a fazer uma lista pelas costas do pai para colocar Waldir", disse ela. "Eles vieram [atrás de mim], me procuraram. Então, eu disse: 'Tudo bem'. Esse ano eu fico com vocês, apesar de achar que o Waldir não seria o melhor nome", completou.

A situação da parlamentar teria ficado comprometida depois de assinar uma lista de apoio à permanência do deputado delegado Waldir na liderança do PSL na Câmara. O desejo do presidente Bolsonaro é que a posição fosse assumida por seu filho Eduardo. O presidente articulou para que isso acontecesse, mas sofreu uma derrota. A Secretaria-Geral da Mesa da Câmara decidiu que Waldir continuaria no posto.

A deputada, então, foi retirada de sua função no Congresso Nacional pelo próprio presidente Bolsonaro.

Ainda durante a transmissão, Joice Hasselamnn classificou a articulação como "golpe no partido".

"Algumas pessoas, eu sinto muito, foram pressionadas e não conseguiram aguentar a pressão. Porque quando alguém do palácio liga ou o próprio presidente liga (...), é obvio que muita gente foi pressionada e acabou assinando a lista para tentar dar um golpe no partido, o partido que é o maior da Câmara, e o presidente precisa desse partido", afirmou Joice Hasselmann.

Durante a live, Joice voltou a criticar a sequência de polêmicas promovidas pelos três filhos. "É negócio de Queiroz pra cá, negócio do filho que fica tweetando pra lá. Ou o negócio do Eduardo que ser quer embaixador, quer ser isso e quer ser aquilo..."

"Isso é coisa do PT"

A parlamentar criticou a atitude de Bolsonaro ao tentar derrubar o líder do partido na Câmara. "Isso é, no mínimo, moralmente questionável. Você não pode usar a estrutura do Palácio [do Planalto], a estrutura do Executivo, para interferir em outro poder, para interferir no Legislativo", afirmou.

Ela também falou sobre uma conversa que teve com o presidente, depois de atritos com integrantes do próprio governo que foram afastados.

"Não se pode fazer isso com um amigo como o [general Carlos Alberto dos] Santos Cruz, não se pode fazer isso com o [Gustavo] Bebiano, que era seu amigo. Não se trata aliados dessa forma. Não se deixa as pessoas feridas pelo meio do caminho. Não se explode reputações. Isso é coisa do PT. Essa divisão não é boa e natural", afirmou. "Eu tinha coragem de falar. Ainda que não goste. Quer ouvir, ouve. Não quer, não ouve."

Crise no PSL

Após ser retirada de sua função no Congresso Nacional pelo próprio presidente. Hasselmann e Eduardo passaram a trocar acusações, principalmente pelas redes sociais.

Na sexta à tarde, o deputado federal publicou uma montagem com a imagem dela dentro de uma nota de R$ 3, insinuando que a deputada é falsa.

Em seguida, Hasselmann postou montagem de Eduardo vestido como Quico, personagem da série mexicana "Chaves", e disse entre outras coisas: "Deputado eleito pelo papai querendo ser embaixador", referindo-se à tentativa .

Ontem, : primeiro, o filho do presidente escreveu. "Galvão, deixe de seguir a pepa", direcionando a mensagem a Joice. A .

"Picareta! Menininho nem-nem: nem embaixador, nem líder, nem respeitado. Um zero a esquerda. A canalhice de vocês está sendo vista em todo Brasil. Ouvi agora aplausos num tradicional restaurante em SP e a palavra: como eles foram canalhas com você! Saiba que você está entre o 'eles'".