Política

EMGERPI tem prejuízo de R$ 18 milhões no exercício de 2019, segundo balanço divulgado

EMGERPI tem prejuízo de R$ 18 milhões no exercício de 2019, segundo balanço divulgado

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

______________

HÁ MOTIVO PARA SORRIR?

- Chama atenção os gastos com consultorias, da ordem de R$ 856.199,99, além dos gastos com terceirizados, R$ 2.286.658,36.

______________________

_Diretor presidente da EMGERPI, Décio Solano
_Diretor presidente da EMGERPI, Décio Solano (Imagem: Divulgação)         

SEM QUALQUER FUTURO

A Empresa de Gestão de Recursos do Estado do Piauí (EMGERPI) teve prejuízo da ordem de R$ 18.202.278,64 no exercício de 2019, segundo o balanço divulgado. Ela é vinculada à Secretaria de Administração e Previdência.

A EMGERPI é um sociedade de economia mista que foi criada pelo poder público por lei complementar, no ano de 2007, sob o sonho de que seria capaz de aprimorar a utilização e o gerenciamento de recursos humanos e garantir a produtividade dos servidores no exercício de suas atividades. 

Com o resultado o patrimônio líquido passa a ser de R$ 7.065.241,88.

Os acionistas têm direito a dividendos correspondente a 25% do lucro ajustado do exercício, mas como deu prejuízo, diante de uma administração questionável, não há, portanto, a distribuição de dividendos.

Um dos números que permite ver como a empresa pública não possui lá essa credibilidade, é a quantidade de pessoas que compareceram a seus cursos ao longo do ano de 2019. Somente 19.

O sonho que levou à criação da instituição, de um dia ser capaz de aprimorar a utilização e o gerenciamento de recursos humanos e garantir a produtividade dos servidores no exercício de suas atividades, contrasta com a festa existente de distribuição de cargos comissionados na Secretaria de Governo - onde muitos não exercem de forma efetiva suas funções.

O diretor presidente da ENGERPI é Décio Solano Nogueira.

DESPESAS ASTRONÔMICAS

A Secretaria de Administração e Previdência fixou o valor de R$ 5.136.889,38 para despesas administrativas no ano de 2019.

Chama atenção os gastos com consultorias, da ordem de R$ 856.199,99, além dos gastos com terceirizados, R$ 2.286.658,36.

Haja gestão.