Política

Presidente foi à Corte | Bolsonaro faz surpresa em última sessão de Toffoli como presidente do STF

Presidente foi à Corte | Bolsonaro faz surpresa em última sessão de Toffoli como presidente do STF

O presidente (sem partido) fez uma visita ao (Supremo Tribunal Federal) na tarde de hoje, quando o ministro Dias Toffoli realiza sua última sessão como presidente da corte — amanhã, o ministro Luiz Fux toma posse na presidência do STF.

Bolsonaro chegou ao plenário do STF por volta das 17h, acompanhado dos ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva (general que já foi assessor no gabinete de Toffoli), e da AGU (Advocacia-Geral da União), José Levi, e da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira.

O presidente entrou no plenário durante manifestação do ministro Alexandre de Moraes, que elogiou a decisão de Toffoli de abrir o inquérito das fake news. Após alguns minutos, Toffoli convidou Bolsonaro para sentar-se ao seu lado no plenário do STF, posição ocupada por autoridades em sessões solenes do tribunal.

"Sabemos quanto o STF foi ameaçado, quanto os ministros foram ameaçados, quanto familiares de ministros foram ameaçados", afirmou o ministro.

Instaurado por ordem de Toffoli, o inquérito das fake news investiga ofensas e ameaças aos ministros do STF.

A investigação passou a mirar empresários, blogueiros e políticos aliados de Bolsonaro, suspeitos de integrar uma rede de disseminação de notícias falsas com o objetivo de atingir integrantes do Supremo.

Proximidade com Bolsonaro

A presidência de Toffoli no Supremo foi marcada por uma interlocução constante com o Congresso e com Bolsonaro, apesar dos frequentes ataques à corte vindos do presidente e de seus apoiadores.

Em maio, Bolsonaro chegou a liderar um grupo de empresários em uma outra uma visita de surpresa ao Supremo. Na ocasião ele estava acompanhado do ministro Paulo Guedes (Economia) e também do general Azevedo, com quem sobrevoou de helicóptero uma manifestação contra o Judiciário.

Na semana passada, o presidente do STF disse, em entrevista a jornalistas, não ter visto uma atuação antidemocrática do presidente — que compareceu a diversas manifestações organizadas por seus apoiadores que pediam fechamento do Supremo e do Congresso Nacional.

Apesar de estar realizando as sessões por videoconferência, hoje, além de Toffoli, também Moraes e outros ministros decidiram participar da sessão de dentro do plenário na sede do tribunal.

A sessão ainda não foi encerrada.