Política

Caso IDEPI: TCE deve iniciar o julgamento de um complexo caso de superfaturamentos em estradas do PI

Caso IDEPI: TCE deve iniciar o julgamento de um complexo caso de superfaturamentos em estradas do PI

Por Rômulo Rocha - Do Blog Bastidores

_________

- Caso ganhou repercussão nacional após empreiteiros usarem de forma sistemática e ininterrupta a polícia e a justiça contra três jornalistas do 180, e contra o próprio portal, com ações mais contundentes contra o titular do Blog Bastidores, que se negou a calar

- Suposto superfaturamento teria ocorrido no Governo Zé Filho e envolve estradas vicinais. Inúmeras empreiteiras e agentes públicos são alvos das tomadas de contas especiais. Investigações perduram até hoje

- Todos negam qualquer tipo de superfaturamento, indo de encontro a relatórios técnicos da própria Corte de Contas

____________________

UM CASO DE SUPOSTO DESVIO DE MILHÕES DE REAIS EM ESTRADAS

O Tribunal de Contas do Piauí (TCE) - que tem tido um papel importante no combate à corrupção no estado - deve iniciar esta semana o julgamento do notório Caso IDEPI, que envolve o suposto desvio milionário de recursos públicos através de estradas vicinais no governo Zé Filho.

Ao todo mais de três dezenas de tomadas de contas especiais devem ir a julgamento pelo Pleno do TCE. Essa semana, porém, consta da pauta somente três delas. São as primeiras a irem a julgamento.

Entre os alvos estão os então gestores Elizeu Aguiar e Francisco Alberto de Brito Monteiro. Ainda os apontados como diretores técnicos do órgão à época. São eles Wescley Raon de Sousa Marques, João A. de Moura Filho e Francisco Átila Araújo Moreira Jesuíno. Além de uma das construtoras responsáveis pelas supostas obras. 

Quando do início de publicações sobre o caso, em 2017, empreiteiros moveram inúmeras ações contra jornalistas do Portal 180graus, junto à Polícia e à Justiça, objetivando inclusive a prisão do profissional de imprensa responsável pela condução da cobertura jornalística do caso. Eles não queriam ser noticiados.

Os ataques aos jornalistas contaram com a ajuda jurídica de escritório de advocacia de um então candidato ao governo do estado e com portal de notícias local, que foi usado (ou se deixou usar) para difundir informações falsas.

Os ataques acabaram por chamar a atenção da imprensa nacional. A Folha de São Paulo chegou a classificar a tentativa de censura no âmbito da cobertura do Caso IDEPI como um dos mais sérios atos já registrados no País contra a liberdade de expressão no período de um ano. A publicação foi manchete do jornal.

MAIS PRESSÕES

Houve também inúmeros pedidos para parar de se escrever sobre o caso advindos das mais variadas partes. Em entrevista ao jornalista titular do Blog Bastidores, o relator do Caso, Delano Câmara, também chegou a falar que sofreu pressões, depois que expediu medida cautelar mandando o órgão cessar qualquer pagamento às mais de 10 empreiteiras envolvidas.

Um dos então diretores do IDEPI também reclamou de pressões por parte dos empreiteiros, conforme consta de documento extraído dos autos no TCE (VER AQUI). "Fizeram todos os tipos de pressões possíveis, inclusive judicial", chegou a dizer Francisco Alberto de Brito.

A primeira publicação sobre o que ocorria no IDEPI na mídia foi feita pelo Portal Capital Teresina.

O Ministério Público do Piauí chegou a pedir a quebra de sigilos bancário e fiscal de alguns empreiteiros