Política

Carlos Bolsonaro reclama em livraria sobre "curso de comunismo" e ouve: 'é um debate sobre revoluções'

Carlos Bolsonaro reclama em livraria sobre

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) foi a uma livraria na Barra, no Rio de Janeiro, e se deparou com um grupo discutindo a Revolução Russa. De acordo com informações da coluna de Ascânio Seleme, publicada no Globo no último sábado (16), uma turma falava sobre Lenin, Trótski e Marx.

O filho do presidente decidiu então procurar um funcionário da livraria e perguntou: “Desde quando vocês dão aula de comunismo aqui?”

O funcionário explicou que não era aula de comunismo, mas uma etapa de um ciclo de estudos sobre as grandes revoluções da história.

Insatisfeito, Carlos Bolsonaro circulou, contou o número de presentes, e dirigiu-se ao segurança da livraria, achando que teria mais empatia.

Perguntou a ele mais uma vez sobre a aula de comunismo. O segurança, educado, respondeu: “Não se trata de aula de comunismo, senhor, mas de um debate sobre revoluções”.