Política

Após receberem ameaças, Miriam Leitão e Sérgio Abranches são cortados de evento literário

Após receberem ameaças, Miriam Leitão e Sérgio Abranches são cortados de evento literário

Manifestações nas redes sociais levaram a direção da 13ª Feira do Livro do Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, a anunciar o cancelamento do convite à jornalista Miriam Leitão e ao sociólogo Sérgio Abranches. O evento será realizado de 8 a 18 de agosto e tem como tema Literatura em Movimento.

O corte aos escritores ocorreu após o lançamento de uma petição online de repúdio contra Miriam Leitão por “seu viés ideológico e posicionamento”. O abaixo-assinado online contava com 3.035 assinaturas até o início da tarde desta terça-feira (16).

A direção da Feira do Livro emitiu uma nota em que afirma que “nunca, em toda sua história, a festa da literatura foi atacada pela escolha de seus convidados”, e que a decisão de cancelar a vinda dos jornalistas não foi unânime.

Organização recebe mensagens de ameaça

Os organizadores afirmam que a decisão de cancelar a participação de Miriam e Abranches levou em conta a proteção da integridade física dos convidados e do público, diante do teor de ameaça das mensagens que receberam.

“A Feira do Livro sempre foi um evento para as crianças e para famílias. Por causa da característica truculenta, intimidadora e ameaçadora de mensagens recebidas, decidimos cancelar parte da programação para proteger a integridade física dos convidados e o bem estar do público”, afirmaram em nota ao NSC Total.

O coordenador artístico da 13ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul, Carlos Schroeder, afirmou em entrevista que fica envergonhado em ter que dizer que não conseguiria garantir a segurança dos palestrantes na cidade. Ele conta que desde a divulgação dos nomes de Miriam e Sérgio começou uma chuva de comentários nas redes sociais e nos celulares da equipe do evento. Eram 600, 700 comentários, ameaçando os convidados desde morte até recepção com ovos.

— Como escritor, tenho vergonha de falar para a Miriam Leitão que não posso trazê-la porque não tenho como garantir sua segurança — afirmou Schroeder.

A jornalista Miriam Leitão e o sociólogo Sérgio Abranches não quiseram comentar a decisão.

Confira a nota emitida pela Feira do Livro na manhã desta terça:

“A feira do livro, em suas 12 edições, sempre foi marcada por ser um evento plural, que promove o conhecimento por meio da literatura, teatro, música e artes visuais.

Nesses 12 anos, a feira já enfrentou inúmeras dificuldades, da escassez de recursos financeiros até enchentes. Mas nunca, em toda sua história, a festa da literatura foi atacada pela escolha de seus convidados.

Em virtude das recentes manifestações, a comissão organizadora, em votação na manhã desta terça-feira (16), optou (em decisão dividida) pelo cancelamento da participação dos jornalistas Miriam Leitão e Sérgio Abranches.

Reiterando, a Feira do Livro é, e sempre foi, um evento de difusão do livro e da leitura, sem fins políticos, religiosos ou ideológicos”.

Fonte: Gauchazh

Créditos: Gauchazh