Política

Após crise com presidente | Maia homologa suspensão de 14 bolsonaristas e PSL deve alçar Joice a líder

Após crise com presidente | Maia homologa suspensão de 14 bolsonaristas e PSL deve alçar Joice a líder

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), oficializou hoje (10) a decisão do PSL de suspender a atividade partidárias de 14 deputados bolsonaristas do PSL, entre eles do filho do presidente (sem partido) e líder do PSL, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que agora tem apoio da maioria da bancada, deve ser nomeada a próxima líder do partido.

O UOL havia adiantado a costura para que a ex-líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann, ficasse à frente da liderança, . O cargo dá protagonismo à deputada que é pré-candidata à prefeitura de São Paulo.

Além de Eduardo, o líder do governo Major Vitor Hugo (PSL-GO) também foi suspenso. Maia chancelou a decisão do PSL e destacou que não coube à Câmara analisar as razões das punições, e sim as formalidades do processo disciplinar, cuja competência é do PSL.

"Os deputados sancionados ficam afastados do exercício de funções de liderança ou vice-liderança, com como ficam impedidos de orientar a bancada em nome do partido e de participar da escolha do líder da bancada durante todo o período de desligamento", considerou o ofício de Maia.

A bancada do PSL tem 53 deputados, todos podem continuar a votar projetos em comissões que pertençam e em plenário. Os efeitos da medida de Maia é voltada para as atividades junto à bancada. Os prazos de suspensão variam de três meses a um ano.

Maia considerou que a punição aos parlamentares traz consequências à própria sigla, "uma vez que certos institutos regimentais têm como referência o tamanho atual da bancada do partido ou bloco, a exemplo do cálculo do tempo das comunicação de liderança, da definição sobre o número de requerimentos de destaque de bancada".