País

RETIRADA DO FGTS: novo modelo pode prejudicar financiamento de imóveis, diz economista paraibano

RETIRADA DO FGTS: novo modelo pode prejudicar financiamento de imóveis, diz economista paraibano

A equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu apresentar ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) uma proposta que autoriza ao trabalhador fazer um saque anual de suas contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Dessa forma, o trabalhador poderia sacar um percentual do saldo de suas contas no mês de seu aniversário.

O economista Werton Oliveira alertou, nesta sexta-feira (19), que esse novo modelo a ser proposto pode ser prejudicial para a construção civil no Brasil. “Boa parte dos recursos utilizados no financiamento imobiliário, por exemplo no Minha Casa Minha Vida, vem dos recursos do FGTS, então ele pode impactar diretamente no financiamento de imóveis”, destacou.

O economista ponderou, entretanto, que se apenas uma parte desses recursos for liberada, esse impacto negativo não existirá. “Do ponto de vista de liberar uma fatia do recurso, eu acho positivo, principalmente para esse momento da economia”, pontuou.

Uso consciente

O economista Rafael Bernardino concordou que a liberação dos recursos do FGTS vai aquecer a economia, mas ressaltou que cada trabalhador deve refletir sobre em qual necessidade vai utilizar esses recursos. “A orientação é que, quem tiver dívida, que resolva as dívidas, pois dívidas tem juros e juros consome renda. A segunda providência é que se a pessoa tiver necessidade real de algum produto, que compre, e se puder poupar, melhor ainda, pois ao longo do tempo a pessoa vai precisar desse recurso no futuro”, enfatizou.

Dívidas

Mesmo tendo a possibilidade de utilizar os recursos do FGTS para abater o financiamento do imóvel, cerca de 5 mil clientes estão com mensalidades de imóveis atrasadas na Paraíba. A informação é do gerente regional da Caixa Econômica Federal (CEF), João Alves. Por isso,  o banco está realizando a campanha “Você no Azul” para possibilitar a quitação de dívidas dos clientes. Se essas dívidas não forem quitadas, os endividados podem perder os imóveis.

Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Polêmica Paraíba