País

País de Gales está a um passo de proibir animais selvagens em circos

Uma legislação que proíbe o uso de animais selvagens em circos itinerantes no País de Gales entra em votação essa semana.

A nova legislação, escrita para alinhar o País de Gales com a Escócia, será apresentada à assembleia na segunda-feira (8).

O ministro de Assuntos Agropecuários do governo de Gales, Lesley Griffiths, disse que os animais selvagens devem ser “tratados com respeito”.

Suas propostas foram bem recebidas pela RSPCA, mas um homem descrito como o último domador de leões da Grã-Bretanha, Thomas Chipperfield, disse que a nova lei era “não-aprovável”.

O governo galês disse que a nova lei foi “apoiada de forma esmagadora” em uma consulta recente que teve mais de 6.500 respostas positivas.

Existem agora apenas dois circos que visitam regularmente o País de Gales e viajam pelo Reino Unido com animais selvagens.

Leis semelhantes foram aprovadas na Escócia e na Irlanda, enquanto a legislação para proibir a prática na Inglaterra está atualmente passando pelo Parlamento.

A legislação de Gales tornará ofensivo o proprietário de um circo itinerante usar ou permitir que outra pessoa use um animal selvagem em um circo itinerante.

Qualquer pessoa condenada por infringir a lei enfrentaria uma multa ilimitada nos tribunais.

Ms Griffiths disse que os animais selvagens não devem “ser explorados para o nosso entretenimento”.

“A introdução deste projeto de lei envia uma mensagem clara de que este governo e o povo de Gales acreditam que esta prática está ultrapassada e eticamente inaceitável”, disse ela.

No entanto, Thomas Chipperfield, que trabalhou e se apresentou com circos itinerantes no Reino Unido, disse que o projeto era “um movimento muito pouco liberal”.

Ele disse que conviveu com grandes felinos nos últimos oito anos, mas atualmente possui dois rinocerontes africanos, um tigre de Bengala do sexo masculino, cavalos e cachorros. E que os animais estão “acostumados a esse estilo de vida”.

O sofrimento e a exploração de animais em circo já foi exposto mundialmente e diversos países já possuem legislação que proíbe essa prática cruel. Para citar apenas alguns deles: Áustria, Bolívia, Colômbia, Costa Rica, Croácia, Chipre, Grécia, Guatemala, Israel, Itália, México, Paraguai, Peru, Escócia, Luxemburgo, Noruega, Cingapura, Romênia, entre outros.

Em sua evidência apresentada ao comitê de assembléia, Chipperfield disse que a questão dos animais selvagens em circos não era “uma grande preocupação” para o público britânico.

Enquanto isso, Claire Lawson, da RSPCA, disse que manter animais selvagens em circos itinerantes “não tem lugar no País de Gales moderno”.

“É ótimo que o governo galês tenha aceitado isso e agido em prol desses animais”, disse ela.

O chefe de assunto relacionados bem-estar animal e animais cativeiro da ONG Born Free Foundation, dr. Chris Draper, disse que o País de Gales se juntaria a uma “longa e crescente lista” de países para proibir a prática.

“A Grã-Bretanha pode em breve estar livre de circos com animais selvagens”, acrescentou ele.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.