País

Ozônio pelo ânus: ministro da Saúde se reúne com defensores de tratamento experimental para Covid

Ozônio pelo ânus: ministro da Saúde se reúne com defensores de tratamento experimental para Covid

Eduardo Pazuello, ministro interino da Saúde, recebeu na última segunda-feira (03) os defensores da aplicação retal de ozônio para combater o novo coronavírus. O método, que não tem eficácia cientificamente comprovada, ganhou destaque nacional depois que Volnei Morastoni (MDB), prefeito de Itajaí (SC), defendeu oferecer o tratamento na cidade catarinense.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) desaconselha o uso do ozonio, alertando que é uma prática apenas experimental, permita somente em estudos. Apesar disso, Morastoni diz que sua gestão oferece o tratamento aos pacientes que desejarem tratar Covid-19 por esse método.

De acordo com o portal Metrópoles, o encontro de Pazuello com Morastoni foi arranjado pelo deputado Giovani Cherini (PL-RS). O motivo teria sido discutir as ações do Ministério da Saúde para combater a pandemia na região Sul, uma das mais afetadas pela pandemia no momento.

A média Maria Emília Gadelha Serra, que esteve no encontro, publicou fotos nas redes sociais e destacou que o uso de Ozônio foi debatido: “Ozonioterapia na Saúde!”, escreveu.

 O próprio Ministério da Saúde e a OMS (Organização Mundial de Saúde), no entanto, já divulgaram, mais de uma vez, que ainda não há cura para a covid-19 ou mesmo tratamento de eficácia científica comprovada. Além disso, o Conselho Federal de Medicina (CFM) ressalta que a prática deve ser utilizada apenas em caráter experimental.

“Tratamentos médicos baseados nessa abordagem devem ser realizados apenas no escopo de estudos que observam critérios definidos pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep)”, informou o órgão em nota enviada ao site NSC Total.