País

Óleo atinge mais de mil localidades no litoral do Brasil

Óleo atinge mais de mil localidades no litoral do Brasil

Mais de 400 locais, dos 1.004 afetados pelo óleo, ainda apresentam vestígios do petróleo

O óleo continua a aparecer no litoral do Brasil e já atingiu mais de mil locais. O último município a ser afetado foi Pacatuba, no Sergipe.

Praia de Carneiros, em Tamandaré (PE) (Foto: Clemente Coelho Júnio/Divulgação/Folha de S. Paulo)

Desde 30 de agosto de 2019, 1.004 locais foram atingidos no Nordeste e no Sudeste, segundo o Ibama. Desses, 434 ainda apresentam vestígios. As informações são da Folha de S. Paulo.

No final de novembro, após voluntários, funcionários públicos e militares limparem as praias, as manchas começaram a surgir em tamanhos menores.

Especialistas e a população criticaram a ação do presidente Jair Bolsonaro diante do caso. Uma pesquisa realizada pelo Datafolha mostrou que 42% da população considera ruim o desempenho de Bolsonaro diante da crise do vazamento.

O presidente extinguiu, em abril de 2019, comitês que faziam parte do Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Água (PNC), o que, segundo especialistas, pode ter colaborado para a desorganização das ações do governo após as manchas de óleo surgirem.

Um manual do PNC, que determinava o acionamento ou não do plano, mostrou ainda que o governo tardou a executar ações para lidar com o vazamento.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, fez um pronunciamento sobre o caso apenas 55 dias depois do óleo surgir e associou, sem apresentar provas, a ONG Greenpeace ao vazamento.

A origem do óleo ainda é desconhecida. Apesar da Polícia Federal ter apontado um navio grego como suspeito pelo vazamento, o relatório usado pela PF para chegar a essa conclusão foi produzido por uma empresa e rejeitado pelo Ibama, que afirmou ter encontrado inconsistências no documento.