País

Nada de aposentadoria | 7 veteranos brasileiros que ainda estão escondidos por aí

Nada de aposentadoria | 7 veteranos brasileiros que ainda estão escondidos por aí

Você lembra de algum jogador que fez sucesso no futebol brasileiro há um tempo e depois simplesmente desapareceu?

Talvez ele já tenha se aposentado. Mas existe a chance também de ele estar "escondido" em algum canto do planeta, jogando um campeonato que não tem muita cobertura jornalística ou tendo raras oportunidades em alguma equipe de um pouco mais de expressão

Depois de no mês passado mostrar os paradeiros de sete estrangeiros veteranos famosos que continuam jogando profissional, mas que andam um tanto quanto perdidos no mundo, o "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo sete brasileiros que estão exatamente na mesma situação.

Não, eles não penduraram as chuteiras ainda… apenas estão em algum lugar que seus olhos não costumam alcançar.

FELIPE
Goleiro
35 anos
Kisvárda (HUN)

Titular da meta dos dois clubes mais populares do país, Felipe acumulou títulos por Corinthians (Série B, Paulista e Copa do Brasil) e Flamengo (dois Estaduais e uma Copa do Brasil). Mesmo com todo esse sucesso, jamais conseguiu uma chance na seleção ou em um clube importante do exterior. De personalidade forte, o goleiro viu sua carreira entrar em declínio muito cedo para um jogador de sua posição. Depois de três anos rodando por times menores do Brasil, Felipe se mandou para a Hungria na temporada passada. No Kisvárda, lutou contra o rebaixamento em seu primeiro ano e agora tem conseguido se manter um pouco acima da zona do descenso.

MÁRCIO MOSSORÓ
Meia-atacante
36 anos
Göztepe (TUR)

Destaque do Paulista na conquista da Copa do Brasil de 2005, teve uma passagem de três anos pelo Internacional e depois começou a rodar pelo exterior. Mossoró jogou em Portugal, esteve na Arábia Saudita e vive na Turquia desde 2014. Durante cinco temporadas, ajudou o Basaksehir a se transformar em uma das potências do país. Em setembro, já com idade elevada, trocou de clube e migrou para o Göztepe, que ocupa a parte de baixo da classificação do campeonato.

RODRIGO TABATA
Meia-atacante
38 anos
Al-Rayyan (QAT)

Faz tempo que Tabata deixou o Brasil. Tanto tempo que muita gente talvez nem mais lembre que ele vestiu a mítica camisa 10 do Santos e foi bicampeão paulista pelo clube em 2006 e 2007. Em sua 12ª temporada consecutiva no exterior e com 38 anos nas costas, o meia-atacante é ainda hoje uma das principais estrelas do futebol do Qatar e já tem cinco gols marcados nesta temporada. O jogador do Al-Rayyan, que vive no país-sede da próxima Copa do Mundo desde 2010, até chegou a defender a seleção do país, mas parou de ser convocado há dois anos.

GOMES
Goleiro
38 anos
Watford (ING)

Reserva da seleção brasileira de 2010, construiu uma longa e vitoriosa carreira na Europa. Além de ter passado por Tottenham, PSV Eindhoven e Hoffenheim, Gomes também foi um dos responsáveis por abrir as portas da Inglaterra para goleiros brasileiros ao assinar com o Watford, em 2014. Cinco anos depois, o veterano continua na equipe que disputa a Premier League, mas só tem atuando nas partidas da Copa da Liga. Ele chegou a anunciar que penduraria as luvas no fim da temporada passada para ser pastor evangélico, mas decidiu adiar esse plano e estender um pouco mais a carreira.

BOBÔ
Atacante
34 anos
Hyderabad (IND)

O ex-centroavante de Corinthians, Cruzeiro e Grêmio chegou a ter momentos de destaque no exterior quando defendia o Besiktas, da Turquia, e até mesmo foi convocado para a seleção brasileira. Longe do país desde 2016, o atacante se aventurou no futebol australiano, passou sete meses desempregado e voltou ao futebol em setembro, quando assinou para defender o Hyderabad, na Superliga Indiana, competição que já foi chamada pejorativamente de "liga dos aposentados".

GABRIEL
Lateral direito
38 anos
Miami Dade (EUA)

Filho de Wladimir, um dos maiores ídolos da história do Corinthians, o lateral fez muito sucesso nos primeiros anos de carreira, período em que defendeu São Paulo e Fluminense, e chegou até a jogar pela seleção principal. Com dificuldades de marcação, sua carreira foi aos poucos perdendo firmeza. Em 2014, ele deixou o Internacional para morar nos Estados Unidos. Desde então, vem atuando em ligas menores do soccer. Primeiro, jogou no Fort Lauderdale Strikers. Agora, está na terceira temporada pelo Miami Dade, equipe que joga em uma das inúmeras ligas semiprofissionais do futebol norte-americano.

LEANDRO DOMINGUES
Meia-atacante
36 anos
Yokohama FC (JAP)

Tratado como craque na época das categorias de base, não conseguiu alcançar o nível que se esperava dele. Apesar das passagens por Vitória, Cruzeiro e Fluminense, jamais jogou na Europa e nem conseguiu uma vaguinha na seleção brasileira adulta. Em compensação, fez uma bela carreira no Japão. Em 2011, com o Kashiwa Reysol, chegou a ser eleito o craque da primeira divisão nipônica. Agora aos 36 anos, já atua em um nível mais baixo e disputa a segundona japonesa pelo Yokohama FC.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

No país de Jorge Jesus, técnicos brasileiros só têm emprego na 3ª divisão
Por onde andam 5 brasileiros que jogaram no Tottenham?
"Gabigoal" e nômade são os artilheiros brasileiros na Europa; veja top 10
Coutinho vira "chuta-chuta" na Champions, mas sofre com desespero por gol