País

Guaraná não será mais vendido em embalagens plásticas

Guaraná não será mais vendido em embalagens plásticas

Cervejaria Ambev acaba de anunciar aquela que deve ser uma das mais ousadas metas de sua história: acabar com a poluição plástica de suas embalagens até 2025.

Isso significa que a cervejaria, em parceria com outras empresas e universidades, vai tomar uma série de medidas e criar inovações para garantir esse compromisso.

Além de suas marcas de cerveja, a Ambev trabalha com um extenso portfólio de refrigerantes, que têm plástico como principal material de suas embalagens.

Hoje, 18% de todo o líquido produzido pela companhia é envasado em embalagens plásticas. Marcas como Guaraná Antarctica e Pepsi farão parte deste compromisso, que vai exigir esforço e a criação de novas tecnologias para ser cumprido.

Entre os parceiros que fazem parte do nosso ecossistema e que vão ajudar a Cervejaria Ambev neste desafio estão empresas como ValGroup, uma das maiores produtoras e recicladoras de embalagens plásticas, ANCAT (Associação Nacional de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis) e UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

“Em 2018, a gente já tinha anunciado a meta de ter 100% dos nossos produtos em embalagens retornáveis ou que fossem majoritariamente feitas de conteúdo reciclado até 2025. Agora queremos ir além para ajudar a resolver o problema da poluição plástica, que preocupa o mundo todo” explica Jean Jereissati, presidente da Cervejaria Ambev.

“Para darmos esse passo ainda maior, vamos nos unir aos nossos parceiros e fomentar ainda mais a inovação dentro do nosso ecossistema. Já estamos trabalhando com ValGroup, ANCAT e outros parceiros para trilharmos juntos um caminho de inovações para uma solução no longo prazo para o plástico”, finaliza