País

CORONAVÍRUS: Com 733 novas mortes, país tem pior 2ª feira em número de óbitos desde maio

CORONAVÍRUS: Com 733 novas mortes, país tem pior 2ª feira em número de óbitos desde maio

O Ministério da Saúde acrescentou nesta segunda-feira (13), novas 733 mortes ao número oficial de óbitos causados pelo novo coronavírus no Brasil. É o maior número registrado em uma segunda-feira pela pasta desde o dia 25 de maio, quando 807 óbitos foram reportados num período de 24 horas.

Desde então, em seis segundas-feiras consecutivas, o índice ficou sempre abaixo das 700 vítimas fatais. No dia 1º de junho, foram 623 mortes. Uma semana depois, no dia 8, o balanço do ministério trouxe 679 notificações de óbitos.

No dia 15, foram 627. No dia 22, 654. O número voltou a subir no dia 29 de junho, quando foram 692 vítimas, mas tinha caído para 620 na última segunda-feira, dia 6 de julho.

De acordo com o governo federal, o total de mortos por covid-19 desde o início da pandemia agora subiu para 72.833. O número de novos casos confirmados de ontem para hoje foi de 20.286, com o acumulado chegando a 1.884.967.

Os dados do ministério mostraram ainda que o Brasil tem atualmente 657.297 pacientes em acompanhamento com a covid-19, e 1.154.837 casos já são considerados como recuperados da doença.

Neste domingo, 12 de julho, a Paraíba registrou 363 novos casos de Covid-19 e 34 óbitos confirmados desde a última atualização, 5 deles ocorridos nas últimas 24h. São 60.784 pessoas que já contraíram a doença, 22.292 que já se recuperaram e 1.284 faleceram. Até o momento, 179.946 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 51%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 59%. Em Campina Grande, estão ocupados 43% dos leitos de UTI adulto e no sertão, 58% dos leitos de UTI para adultos.

O índice de Isolamento Social foi de apenas 42,1 %, considerado baixo em relação à meta de 70% e à mínima de 50%.